Barcelona · Espanha · Europa

A Festa Mayor de Gràcia em Barcelona

Gràcia é um um bairro super charmoso e boêmio de Barcelona e que, por uma semana, todo o mes de Agosto, abriga uma das festas mais esperadas e famosas da cidade: A Festa Maior de Gràcia que acontece todo mês de Agosto, geralmente na segunda quinzena.

Trata-se de um festival organizado pelos moradores do bairro que passam o ano elaborando a decoraçao das principais ruas e praças do bairro.

Antes de ser incorporada à cidade de Barcelona, em 1897, Gràcia era uma vila e por isso carrega o charme em suas vielas estreitas e históricas.

A festa é super Internantenada com a tecnologia e além do vários cartazes espalhados pelo bairro, dá para consultar tudo pela Internet, como a localizaçao exata das ruas que estao decoradas, os dias e horários dos eventos e shows, etc. Existe até um aplicativo que pode ser descarregado no seu celular.

Mas a festa nao é só isso! Existe toda uma programaçao com vários shows, peças de teatro, oficinas para crianças ao longo de uma semana inteira, o dia inteiro. Em 2016, o festival está acontecendo esta semana de 15 a 21 de Agosto.

Cada rua tem escolhe um tema para decoraçao e a comida servida nas barriquinha também varia em cada uma delas, que vao das tradicionais tapas até sardinha assada! Cerveja nao falta em nenhuma delas!

Bairro de Gràcia, Barcelona

Estaçao Fontana do Metrô, Linha 3 (verde)

Barcelona · Espanha · Europa

Ermita de Santa Cecília em Montserrat, a montanha sagrada da Catalunha

Montserrat é a montanha mais importante e significativa de toda Catalunha e fica há cerca de 50 km de Barcelona, no município de Monostrol de Montserrat, na província de Bages.

 

Segunda uma lenda muito antiga, em uma de suas covas, a Santa Cova, foi encontrada a imagem de Nossa Senhora de Montserrat, a padroeira da Catalunha. Isso foi por volta do ano de 880, quando crianças viram por 4 sábados ininterruptos uma luz forte e uma melodia vindos da montanha.

 

O bispo ordenou entao uma visita na regiao na qual encontraram a cova e a Nossa Senhora, também conhecida como “La Moreneta” por causa do escurecimento do verniz da estátua encontrada ao longo dos anos.

 

O bispo queria levar a estátua para a cidade principal da província de Bages, Manresa, mas diz-se que a estátua fez-se tao pesada, que ele assim entendeu que ela deveria ali permanecer e ordenou a construçao de uma capela, que ainda existe e pode ser visitada. Aliás em Monteserrat há cerca de 15 capelas, mas muitas delas foram parcialmente destruídas pela Revoluçao Francesa, a Guerra Peninsular e a Guerra Civil Espanhola.

 

No ano de 945 foi construído o aí, o primeiro Monastério de Santa Cecília, com patrocínio do Conde de Barcelona, Suñer I, a pedido de sua esposa.

 

Em 1025, o bispo da cidade vizinha de Ripoll, perto dos Pirineus, enviou um grupo de monges para viver em uma das capelas de Montserrat, a de Santa Maria de Montserrat que foi totalmente reformada. O Monastério de Santa Maria começou a crescer e ganhar força, principalmente por causa dos peregrinos atraídos pela imagem da Nossa Senhora.

 

O Monastério de Santa Cecília começou a decair e em 1537, o Papa Julio II ordenou juntar os monges no Monastério de Santa Maria. O Monastério de Santa Cecília virou uma simples capela, onde vivia somente um padre e abrigo de peregrinos.

 

Entre 1811 e 1812, Montserrat converteu-se em símbolo da resistência contra a invasáo Napoleônica e por isso o general Suchet ordenou sua destruiçao. O Monastério foi incendiado e saqueado por tropas francesas, inclusive a Igreja de Santa Cecília.

 

De 1828-1903 a reforma interna da Igreja ficou a cargo do arquiteto Francesc de Paula Villar Lozano, mas sua facahada só foi reformada em 1928 foi totalmente reformado por um dos mais famosos arquitetos modernistas catalaos, Puig i Cadafalch – uma de suas obras mais conhecidas em Barcelona é a Casa Martí, onde fica o famoso restuarante “Els Quatre Gats“. A reinauguraçao da Igreja aconteceu em 30 de agosto de 1931.

 

 

Em 1992, o pintor irlandes, Sean Scully, abriu um atelier em Barcelona e passou a fazer constantes visitas à Montserrat. Em uma dessas visitas conheceu a Igreja de Santa Cecília e teve a idéia de pintá-la.

 

 

Sean criou vários painéis e vitrais para o recinto o que levou ao Museu do Monastério a conveter a Igreja no Instituto de Arte e Espiritualidade Sean Scully. Cada quadro é sua interpretaçao da religiosidade através das cores e formas geométricas características do seu trabalho.

 

-Na prática:

A entrada para a visita inclui um audio guia em vários idiomas (menos português) que conta toda a história do Monastério e dá acesso à Capela e à exposiçao das obras de Sean Scully. O número 21 do áudio guia é imperdível, é um pai nosso cantado em alemáo por um dos meninos do coro de Montserrat, o mais antigo da Europa!

 

-Como chegar: Santa Cecilia se encontra no quilômetro 5,4 da estrada BP-1103 que une a estrada A2 com o Monasterio de Montserrat por Can Maçana. Sao 5 minutos de carro do Monastério, nós fomos de carro e é muito fácil de encontrar, mas dá pra chegar de bicicleta ou caminhando também a partir do Monastério. Veja como chegar ao Monastério aqui.

-Dias e Horários: O instituto só abre no verao de 1º de Julho a 12 de Setembro das 10 às 14 e das 15 às 18. Nao abre às terças.

 

Instituto de Arte e Espiritualidade Sean Scully

Somente no verao 
Horario: de 10h a 14h y de 15h a 18h
Terças: Fechado

Adultos: 7€
Estudiantes, aposentados e grupos de no mínimo 20 pessoas: 6€
Crianças (de 8 a 16 anos): 4€

Barcelona · Espanha · Europa

Como ir do Aeroporto ao Centro de Barcelona

O acesso do Aeroporto El Prat para o Centro de Barcelona é bem simples. Pode-se utilizar ônibus, trem, metrô ou táxi:

-Ônibus:

Basta pegar o Aerobús, nos Terminais 1 (ônibus A1) ou 2 (ônibus A2) do aeroporto (dá para comprar online aqui) até a Plaza de Catalunya (e vice-versa na volta), que fica bem no centro da cidade. Esse ônibus sai de 5 em 5 minutos e o trajeto leva cerca de 30 minutos. Custa 5,90€ ou 10,20€ ida e volta e funciona das 6:00 às 23:00.

Barcelona

Barcelona

Ao descer na Plaça de Catalunya, você pode entrar no metrô e ir para o ponto desejado da cidade. A estaçao Plaça de Catalunya é uma das mais conectadas da cidade, fica na linha L1 e faz conexao com a linha L3 do metrô.

Também tem conexao com os trens da Rodales e Ferrocarriles, dependendo para onde você vai. Leia o post sobre o transporte de Barcelona aqui e qual bilhete comprar.

plano-metro-barcelona

 

-Metrô:

Pode-se pegar a linha L9 Sud (laranja no mapa) do metrô tanto no Terminal 1 quanto no Terminal 2 do aeroporto. Ela se conecta (conforme o mapa acima) com outras linhas do metrô: L1 (descer na estaçao Collblac), L5 (descer na estaçao Torrassa) e L3 (descer na estaçao Zona Universitária) e fazer baldeaçao até a Plaça Catalunya se deseja ir ao Centro da Cidade.

Vale ressaltar que o bilhete simples de metrô NAO vale para ir ao aeroporto, nem o de 10 viagens (T10). É preciso comprar um especial (bilhete Hola BCN ou T-Dia) que custa 4,50€ e funciona de .

O trajeto até o centro da cidade (Plaça de Catalunya) leva cerca de 1h.

-Trem:

O acesso ao trem se dá somente no Terminal 2 do aeroporto. Se você desembarcar no Terminal 1, existe um autobus (Bustransit) – é só seguir a placa “Lanzadera” – que conecta os dois terminais.

As paradas mais centrais (com conexao “correspondencia” com as linhas de metrô e trem) sao:

  • Estación Barcelona Sants (Plaça de Sants)
  • Passeig de Gracia (centro de Barcelona)

Preste atençao no horário dos trens que é de segunda a domingo das 05:42 às 23:38 acada 30 minutos. Sao pontualíssimos. O preço da passagem custa 4,10€ e o trajeto até Barcelona Sants dura 19 minutos. Compre o bilhete avulso da Rodales nas máquinas antes da catraca do trem ou use os bilhetes integrados T10 de 1 zona (10 viagens) ou Hola Bcn. 

 

 

Barcelona · Espanha

Barcelona | Las Ramblas, tudo o que ver e comer

A Praça de Catalunya, uma das principais de Barcelona, por unir a Cidade Antiga (bairros Gótico e Raval) ao elitizado bairro do Eixample, é o ponto de partida para conhercer ¨Las Ramblas”, uma das principais e mais turística “rua” da cidade .

A Praça  de Catalunya foi construída no século XIX depois da queda da muralha medieval como parte de um projeto de modernizaçao da cidade. Várias avenidas importantes a tem como ponto de partida: Las Ramblas, Passeig de Gràcia, Carrer de l’Angel, Ronda de Sant Pere (onde fica o Arco do Triunfo) entre outras.

Apesar de ser uma avenida só, cada trecho recebe um nome diferente e é por isso que é conhecida como ‘Las Ramblas’ no plural. A sequência, a partir da Plaza de Catalunya é: Rambla de Canaletes, Rambla dels Ocells e Rambla de Ciencis i Arts.

selene soares

As ramblas sao peatonais com quiosques de flores, lojinhas de souvenir, banca de jornais, baquinhos e tudo mais que você possa imaginar. É um emaranhado de turistas, vendedores e muita história de manha até o fim da noite.

Na primeira parte da Rambla, está a Font de Canaletes, famosa pelas celebraçoes do time de futebol Barcelona e se você gosta de compras aqui também é o “point” das marcas mais famosas.

selene soares

Você já vai ver muitas lojas de marcas populares do país: Pull&Bear, Mango, Desigual, H&M, Corte Inglês (que é a maior loja de departamentos da Espanha, com várias marcas) além da Apple Store e FNAC e se você se embrenhar pelas ruazinhas ali do bairro Gótico vai encontrar muitas e muitas outras.

selene soares

Aproveite para virar à esquerda na Carrer de Santa Anna e provar o Jámon de Bellota (o presunto mais famoso da Espanha – sim, é caro, mas vale a pena!) na cadeia de lojas mais famosa da cidade, a Enrique Tomás. e as famosas azeitonas espanholas, que são enormes, saborosas e recheadas com vieiras, anchovas, mexilhões etc.

Alguns passos a frente e encontará o famoso restaurante Els Quatre Gats, criado em 1897 e projetado pelo famoso arquiteto modernista catalao Josep Puig i Cadafalch. Costuma ser frequentado por Miró e Picasso e o menu do meio-dia durante a semana costuma ser atrativo e acessível.

4gats

Se preferir tapas em um boteco tipicamente local, ande mais alguns passo e entre na Carrer de Magdalenes direto na Bodega Cala del Vermut, nosso favorito no Bairro Gótico.

selene soares

Continue o caminho e vire à direita na Carrer de Sagristans, à direita e à direita novamente na Carrer de la Portaferrisa, onde está uma das portas da muralha que cercava a cidade de Barcelona durante a época romana. Um pouquinho antes à esquerda está a Carrer de Petritxol e suas famosas churrerías com chocolate. Recomento a Granja Pallaresa (granja é o um termo popular para patisseries).

selene soares

Siga até o final da rua e sairá na Plaza del Pi e na Catedral Santa Maria del Pi que também tem um mirador com vistas fantásticas da cidade. Compre o ingresso aqui, vale a pena.

selene soares

Volte para a Rambla pela Carrer del Cardenal Casañas e pare para fotografar a Casa Bruno Quadros, toda redecorada pelo arquiteto modernista Josep Vilaseca e que abriga uma tradicional loja de guarda-chuvas no térreo. No caminho outra oportunidade para prova o famoso jamón, na loja-museu Jamón Experience.

selene soares

De volta à Rambla, volte uns passos para trás para visitar o Mercado de la Boquería, que é o mercado municipal mais antigo da cidade. Vale muito a visita, principalmente na hora do almoço para comer alguma tapa e beber uma taça de vinho.

selene soares

Um pouco mais a frente, no nº 83 está a Pastelería Escriba, uma confeitaria / patisserie de mais de um século com uma das fachadas mais bonitas da Rambla.

A essa altura, no meio da Rambla, está a Plaça de l’Os com  um mosaico feito por Joan Miró.

selene soares

Na sequência à esquerda está o tradicional o Café Del’ Opera (náo vale a pena parar, deixe para um café especial no fim da Rambla) e à direita o Gran Teatre de Liceu, uma famosa casa de óperas que existe desde 1847.

selene soares

Ao seu lado está a nao menos famosa sorveteria Rocambolesc do aclamado chef catalao Jordi Roca.

selene soares

 

Um pouco mais para baixo entre à direita na rua Nou de la Rambla onde está o Palau Güell, no nº 3, obra de Gaudi. Dá para entrar e visitar as chaminés se quiser. Aí você já estará no bairro El Raval que faz parte da Ciudad Vieja.

selene soares

Volte para a Rambla e continue caminhando até o Mirador de Colón e o Port Veil. Pare um pouco antes no Museu de Cera e tome um cafe ou um refresco no Bosque de las Hadas, um dos cafés mais charmosos da cidade, um verdadeiro bosque encantado (náo é necessário visitar o museu para entrar no café.

A última parada do passeio é o Mirador de Colón (Cristóvao Colombo) que foi construído em 1881 para representar o descobrimento da América. É compoto por uma coluna coríntia, que também é um mirador, compre o ingresso aqui, (dá para ver toda a rambla, o Porto Velho, a Barceloneta e o Porto Olímpico), oito leóes de ferro e várias outras esculturas relacionadas ao tema do descobrimento.

selene soares

Roteiro a pé:

Roteiro Restaurantes: Nas Ramblas tem muito restaurante pega turista, entao siga minhas recomendaçoes.