Argentina · Mendoza

Mendoza além dos vinhedos

Erguidas como refúgio da população em caso de terremotos na região, as praças de Mendoza são um símbolo da cidade e agradáveis áreas de lazer. A principal, centro de outras quatro praças, é a Plaza Independencia, cujas atrações incluem um museu de arte moderna, um teatro e bancos para descanso.

Nas quatro extremidades, as praças Chile, Italia, San Martín e España completam o circuito verde do centro da cidade.

No total são 52 praças e 3 parques. Esses espaços servem para que a população possa se proteger dos destroços de concreto dos prédios caso ocorra um terremoto. Para amenizar a poluição, há 1 milhão de árvores na cidade.

Uma das praças mais bonitas da cidade é a Plaza España que te convida para um passeio ou um descanso em um dos seus longos bancos a fim de apreciar seus belos painéis feitos de azulejos espanhóis e fontes. Nos finais de semana acontece uma feira de artesãos.

Argentina · Mendoza

Comprando vinhos no exterior

Comprar vinhos no exterior é uma tentação porque os preços são realmente muito mais baixos, mas recomendo que compre no seu último destino, caso contrário a taxa para embarcar o peso extra pode não compensar.

Como evitar a taxa por excesso de bagagem

Em Mendonza, por ser a cidade dos vinhos, não tivemos problemas, porque nem pesaram nossas bagagens, mas como fomos para Santiago e ficamos um dia lá, tivemos excesso de bagagem. Isso, no entanto, é logo resolvido se você estiver bem cotado na companhia por ter muitas milhas no seu cartão de fidelidade. Como estávamos na categoria prata do Smiles, ganhamos crédito de 10kg e não tivemos problemas. A taxa de excesso de bagagem na Argentina é de US$3 por kilo, já na Europa é de 13 Euros por kilo.

Alfandega

A cota para bebidas alcóolicas para ficar livre de impostos é de 12 garrafas por pessoa (maior de 18 anos). Além disso é preciso respeitar a cota de US$500. Ultrapassada essa cota é necessário fazer uma declaração a Policia Federal e pagar um imposto de 50% em cima do excesso.

Somada a essa cota, há a cota de US$500 do free shop e o limite de 24 garrafas por pessoas (até 12 do mesmo tipo).

Embarcando os vinhos

A melhor maneira de embarcar os vinhos é em caixas de isopor apropriadas que são vendidas desde 15 a 40 pesos em lojas especializadas em toda a cidade.

Onde encontrar

Essas caixas compramos em uma loja ao lado do nosso Hotel Argentino na calle Espejo, mas vi também na Winery, uma das lojas de vinhos mais completas da cidade.

Lá você encontra os mais diversos rótulos,

acessórios,

e também um Wine Bar, onde é possível provar os vinhos de todas as vinículas da região.

Uns acessórios legais que compramos lá foram um corta gotas e uma rolha para fechar a champagne depois de aberta.

Além disso as geléias de vinho, em especial as de Malbec e Torrontés, vinhos característicos da região são imperdívei e uma ótima lembrança para dar de presente, pois custam cerca de 30 pesos cada.

Outra dica é o tax free, que é o reembolso do imposto (IVA) de produtos fabricados na Argentina, recebido no aeroporto ao deixar o país. A devolução é de 21% do valor da compra igual ou superior a 70 pesos.

Preços do Vinhos

Os preços dos vinhos nas lojas e nas bodegas não varia muito, mas no free shop é bem mais caro. Alguns preços…

Chandon 750 ml R$25,00

Baron B 750ml R$60,00

Veuve Clicquot R$90,00

Malamado R$30,00

Q R$40,00

Argentina · Mendoza

Mendoza | Parque General San Martin

Outro passeio imperdível em Mendonza é conhecer o Parque General San Martin. Com 400 hectares e 17 km de trilhas é uma das áreas verdes mais importantes da Argentina.

Suas alamedas arborizadas são decoradas com 34 esculturas e abrigam mais de 300 espécies de plantas de todo o mundo que foram doadas pelos países, inclusive o Brasil, para a construção do parque.

Uma das esculturas mais bonitas do parque são os portões que vieram da Escócia.

Dentro do parque fica a Universidade de Cuyo, que é como se fosse a nossa Cidade Universitária, o Estádio Malvinas Argentinas e um jardim de rosas com mais de 1000 espécies.

Rosedal

Abriga também o Anfiteatro Frank Romero onde realiza-se todo ano na primeira semana de Abril a ‘Fiesta de la Vendimia’ ou a festa da colheita da uva.

Anfiteatro da Festa da Colheita

Há também o Museu de Ciencias Naturais, um jardim botanico, um zoológico e uma lago artificial criado pelo Clube de Regatas.

Lago de Regatas
Cerro La Gloria

Há também uma grande área de lazer com churrasqueiras que fica lotada aos finais de semana.

Parque General San Martin

Ave Los Platanos, Mendoza, Argentina

Argentina · Mendoza

Mendoza // Almoço em meio aos vinhedos no Cavas Wine Lodge

Entre vinhedos e os Andes está o Cavas Wine Lodge, um dos melhores hotėis da região. Mesmo se estiver fora do budget se hospedar em um hotel Relais & Châteaux, um day spa seguido de um almoço de frente para uma plantação de Malbecs é um programa bem mais acessível. E inesquecível também.

Almoçamos no Cavas no nosso último dia em Mendoza antes de irmos para o Aeroporto. A paisagem do caminho é linda e o hotel/ restaurante fascinante. É indispensável a reserva prévia feita no próprio site do hotel.

Já na entrada fomos recebidos com duas taças de Malbec branco e convidados a passear pelo hotel até decidirmos o melhor horário para almoçar.

Para realmente almoçar entre os vinhedos escolha uma mesa ao ar livre.

O menu é ‘a la carte’ e a carta de vinhos é excelente, pois há uma cave no local com uma grande variedade de rótulos.

Começamos com um couvert caprichado composto por pãezinhos frescos, patê e azeite extra-virgem que foi regado por um Chardonnay 2009 da Vinícula Pulenta.

Escolha difícil… o melhor prato.

Decidimos por um peixe fresco em crosta de coentro e um delicioso ravioli de queijo de cabra com molho Llajua (típico molho picante da culinária andina feito com tomates e chili) e espuma de couve flor com açafrão.

Para a sobremesa, sorvete artesanal de doce de leite, chocolate belga e queijo mascarpone. Indescritiveis…

No final, uma caminhada pelos vinhedos antes de partir para Santiago.

Argentina · Mendoza

Mendoza | Bebendo estrelas na Bodega Chandon

Foi o que exclamou o monge beneditino francês Dom Pérignon quando inventou o método para a fabricação do champagne chamado Método Champenoise. Integra o grupo LVMH (Louis Vuitton Moet Hennessey) e é a primeira filial da bodega fora da França.

Uma curiosidade é que somente na França o champagne leva a marca Moet & Chandon. Em todos os outros países, inclusive no Brasil, leva só o nome Chandon.

Champagne Bar

A visita começa com um vídeo sobre a origem da marca e do champagne. Depois visitamos os vinhedos onde são cultivados três tipos de uva: Chardonnay, Pinot Noir e Semillon. As duas primeiras são usadas na fabricação do chapagne top ‘Baron B’ e a Semeillon para o Chandon.

Em seguida passamos para a Cave onde ocorre a fermentação dos champagnes.

O Chandon é fermentado nos tonéis de alumínio.

O Baron B é fermentado na própria garrafa seguindo o método champenoise. Na França todos os champagnes são feitos com esse método.

Em seguida fomos para a degustação do vinho base, Chandon Extra Brut e Chandon Brut Rosé.

Chegamos então ao restaurante da bodega onde tivemos um almoço harmonizado com espumantes! Foram 4 entradas, 1 prato principal e sobremesa.  As entradas fooram harmonizadas com Chandon Extra Brut e Chandon Brut Nature. O prato principal com Baron B Brut e a sobremesa com Barón B Brut Rosé.

É preciso reservar tanto a visita quanto o almoço. O restaurante é pequeno, portanto a reserva é essencial.

A primeira entrada foi um carpacho de Salmão.

A segunda foi a melhor de todas: empanada de queijo Brie com cebolas carameladas e redução de Malbec.

A terceira foi um hamburguer de molleja, que é uma glândula do boi. Não gostei muito dessa.

A quarta foi uma torrada de brioche com carne de porco e queijo cremoso.

O prato principal foi imbatível. Filé mignon empanado, puré de batatas com trufas e azeite trufado envolto em uma crosta de parmesão. Delicioso!

Para a sobremesa tivemos um  pudim + sorvete de laranja com raspas de grapefruit.

O champagne é servido à vontade e quanto mais você bebe mais eles enchem a taça, Por isso é bom ir de táxi ou remis. O almoço durou mais de quatro horas e depois disso voltamos para o hotel e dormimos…