Américas · Canadá · Montreal

Montreal: Compras, Clima, Transporte, Acomodação e Restaurantes

Viajamos em pleno inverno canadense porque queríamos conhecer a sensação de viver em um lugar abaixo de zero. E Montreal, por acaso, foi onde pegamos as temperaturas mais baixas da viagem uma média -26ºC de dia a -37ºC à noite.

 

Com essas temperaturas, mesmo estando vestidos corretamente – leia o post que escrevi de como se vestir no inverno – não dava pra fica andando por muito tempo na rua. Era um tal de 500 metros, entra em um café, mais 500 metros, entra no metrô, em um shopping, em uma atração fechada e por aí vai.

 

Mas a experiência foi incrível, de saber como as pessoas convivem com esse clima, as crianças todas encapotadas parecendo que nem sentiam nada, o pessoal tirando quilos de neve da calçada, as ruas escorregadias, as botas Sorel detonadas de barro, os diversos e inimagináveis tipos de casacos, luvas e gorros para extremo frio… muito enriquecedor.

 

-Transporte

O metrô de Montreal é excelente e vai te levar para todos os cantos da cidade. Vale a pena comprar o ticket de dia inteiro. Na estação central Berri-UQAM estão interligados metrô, trem e ônibus (de viagem). É muito fácil de ser usado; usamos metrô e ônibus na cidade só para descer e subir uma rua de tanto frio que fazia e também fomos até Mont Tremblant de ônibus porque nao tínhamos Carteira Internacional de Habilitaçao e foi muito bom também. Veja a viagem a Mont Tremblant aqui.

 

-Acomodação

Ficamos no Hotel Stay Centre Ville do lado da estação Berri-UQAM, localização perfeita, e demos a sorte de nao ficar no hotem ,mas em dos flats que eles tem, com dois quartos, sala e cozinha por módicos 36 Euros por noite! Melhor impossível e ainda por cima na rua de cima da Rue St. Catherine, a mais charmosa da cidade.

-Restaurantes

Como estávamos em um flat compramos muitas coisas no mercado e cozinhamos no apartamento.

Jantar de um dos dias, fazia frio de mais para sair…

Mas como indicação de uma amiga minha que mora lá saimos para experimentar o prato típico da parte francesa do Canadá – o poutine. E o recomendadíssimo lugar é o Poutine Ville que ela garantiu que tem o melhor poutine do Canadá. DE-LI-CI-O-SO!

 

Também comemos Poutine em um restaurante na Praça de Alimentaçao do Eaton Center, o New York Fries que foi muito bom, mas sem comparaçoes com o do Poutine Ville.

 

-Compras

Os melhores lugares para Compras em Montreal sao:

Rua Saint Catherine: Essa rua enorme, além de super charmosa, tem a maior variedade de marcas para comprar em Montreal: Forever 21, Apple, GAP, H&M, , Swatch, Adidas etc. Basta descer nas estações Peel e Guy-Concordia. Nessa rua também fica o Eaton Centre, que nao é tao bom quanto o de Toronto, mas em Montreal é um dos prinicpais shoppings.

Eaton Center (705 Rue Saint-Catherine, Montreal): Como disse acima é um dos maiores shoppings da cidade, conectado ao metrô (Dundas) e à RESO (Cidade Subterranea de Montreal) com várias lojas de marcas conhecidas como Guess, GAP, Levi’s, Foot Locker, Lindt,  Sunglass Hut, Best Buy além de uma praá de alimentaçao enorme.

Rogério e Renato claro, compraram o mesmo sapato. 🙂
Rogério impressionado com a loja de mil sabores de pipoca.

RESO ou Cidade Subterrânea de Montreal (747 Rue du Square-Victoria, Montreal) : São mais de 1.500 lojas e vários restaurantes conectados a várias estaçoes do metrô. É praticamente uma outra cidade debaixo de Montreal, com aproximadamente 30 quilômetros de túneis e corredores e ideal para quem, assim como nós vai para lá na época de Natal quando realmente faz muito frio.

 

Américas · Canadá · Montreal

Montreal | Old Montreal, Notre Dame e Le Plateau Mont-Royal

Montreal é a maior cidade da província de Quebec e a segunda maior cidade francófona do mundo, só perde para Paris. Seu nome é uma derivaçao de Mont-Royal que é um monte localizado no centro da cidade. Nós ficamos por lá 2 dias e 2 noites e acho que é o mínimo para conhecer um pouquinho de tudo.

A parte mais bonita da cidade, na minha opinião, é a Old Montreal, ou a cidade antiga. E foi por lá que começamos nosso passeio na Basílica de Notre Dame.

 

Como toda cidade francesa no mundo, Montreal também tem uma Notre Dame para chamar de sua. Por fora ela é bem mais simples que a de Paris, mas tenho que dizer que por dentro me impressionou bem mais.

Há tour guiados gratuitos em Inglês e Francês de hora em hora (que fizemos) onde é contada um pouco da história da cidade e da igreja. A basílica atual foi contruída ‘em cima’ da antiga que sofreu um incêndio criminoso e por ter sido ‘decorada’ quase que totalmente por madeira não resistiu.

 

Na parte de trás há uma pequena capela toda entalhada de madeira onde são realizadas a maioria das missas e onde se casou Celine Dión que é um verdadeiro orgulho para a cidade. A fim de evitar um novo incêndio as paredes da capela são molhadas diariamente pelo corpo de bombeiros.

Em frente fica a Place d’Armes com a estátua de Paul de Chomedey, o fundador da cidade.

 

Ali começa a Cidade Antiga com edifícios da colonizaçao francesa.  Nos perdemos pelas ruazinhas que são um charme a parte e quando esfriava muito, dávamos uma passada em algum café ou lojinha.

Para o Porto Antigo é um pulo. É uma promenade longuíssima ao logo do Rio Sao Francisco, assim como em Quebec. No verao há muitos festivais e Food Trucks por ali. Paramos no Museu de Ciêncas onde tem um cinema incrível e para quem está com crianças é um programa legal.

De lá fomos para o Le Plateau Mont-Royal que é o bairro ‘cool’ de Montreal onde ficam as descoladas Rue Sainte-Catherine, Rue Saint-Denis e a Rue Peel que são as mais badalada da cidade com muitas lojas, bares e restaurantes. À noite, todo mundo vai para lá, pois ali fica o “distrito dos teatros” com muitos espetáculos e shows; é só entrar no site dos teatros aqui para ver a programaçao.

Visitamos o Eaton Center, o mesmo shopping subterrâneo que há em Toronto, mas em versão compacta e bem sem graça pra falar a verdade que até esqueci de tirar fotos, massss o Eaton Center é uma das portas de entrada para o RESO que é a cidade subterrânea de Montreal com mais de 32 km de extensao e 2.000 lojas! Execelente para fazer compras, prinicpalmente no inverno!

RESO, rede subterranea de Montreal

E quando a fome bateu uma coisa eu sabia – queria comer ‘poutine’ o prato típico da cidade composto por carne, batata frita, queijo ralado e molho ‘gravy’. Uma amiga nossa que mora lá nos indicou o ‘Poutineville’  (1365 Ontario Est, Montréal, Québec) como o melhor restuarante de poutines da cidade. E lá fomos nós.

 

Além do poutine original, eles tinham outras versões com filé mignon deliciosas. Recomendo!

Montreal foi a cidade mais fria pela qual passamos, com temperaturas de -27 durante o dia e -37 durante a noite.

E essa noite estava especialmente fria, chegando a criar gelo nos cílios. Foram as cinco quadras mais longas ‘ever’ para voltar para o hotel que decidimos pegar um ônibus quentinho com calefaçao só para descer uma rua e voltar!

 

 

Bem próximo dali ficam o Parc Mont Royal, o Parc Olympique e a Biosphere (um museu do meio ambiente dentro do Parque Jean Drapeau) que dizem ser imperdíveis, mas como estava -30ºC nesse dia não queríamos lugares abertos e deixamos para a próxima vez que voltarmos.

Américas · Canadá · Mont Tremblant · Montreal · Niagara Falls · Quebec · Toronto

Como tirar visto de turismo para o Canadá

Tirar o visto para o Canadá é fácil, mas ao mesmo tempo trabalhoso. O site até é bem explicativo, mas não diz exatamente todos os formulários que devem ser preenchidos.

O Consulado fica no Centro Empresarial Nações Unidas – Torre Norte e aproveitando um dia em que estava fazendo treinamento do mesmo edifício fui lá buscar informações e o atendente me disse para procurar no site (!?).

Tudo bem, voltei ao site, quebrei a cabeça, conversei com alguns colegas do trabalho que já tinham tirado o visto, aliás aqui no meu trabalho ir ao Canadá está uma febre.

Não sei se quando estamos planejando ir a um certo lugar começamos a prestar mais atenção nele, mas toda vez que escolho um lugar para visitar, ele rapidamente entra em evidência, ou será que eu começo a prestar mais atenção à ele?

Bom, voltando ao que interessa, abaixo segue passo a passo e a lista de documentos necessários:

  • Application for Temporary Visa;
  • Family Information;
  • Questionário Informações Adicionais;
  • Termo de Consentimento e uso para residents no Brasil para serviços da VFS Global Services Brazil;
  • Use of Representative (se você não for entregar os documentos pessoalmente);
  • Passaporte válido;
  • Foto 30mm x 50mm;
  • Prova de recursos financeiros. Exemplo: último imposto de renda com o recibo de entrega, os três últimos holerites, contrato social, e extratos bancários;
    Cópia da passagem aérea.

Todos os documentos podem ser baixados do site do Consulado. Os documento 4 e 5 tive que caçar pelo site e podem ser baixados aqui. Nao esqueça de baixar o guia do Consulado aqui que explica direitonho tudo o que você deve fazer.

O documento 1 (Application for Temporary Visa) é o único que precisa ser preenchido no computador. O PDF permite edição e assim que você salvar o arquivo ele vai gerar um código de barras no próprio documento.

É nesse formulário que você vai escolher o visto de entrada única ou de múltipla. O de entrada única permite que você entre no país uma única vez. A exceção é que se voce vai viajar para os EUA voce pode usar esse visto para entrar e sair várias vezes do Canadá durante a validade do mesmo. Se vier de outro país que não seja os EUA, aí você vai precisar do visto de múltiplas entradas.

Com tudo isso reunido basta pagar a taxa no Banco e entregar no Consulado (isso significa pagar no VAC – Visa Application Center, uma das opçoes disponíveis) de segunda à quinta-feira, das 09:30 as 11:00 horas da manhã. O valor varia se você se dicidir por visto de entrada única ou múltipla. Hoje já dá para aplicar online, veja aqui.

Lá também é preciso pagar mais uma taxa de R$65,00 e só aceitam cartão.

Em alguns dias, o consulado envia um link para acompanhamento online da solicitação. Mais informações devem ser consultadas no site do Consulado.

 

Agora a partir de 31 de julho de 2018 os brasileiros que já tiveram um visto do Canadá nos últimos 10 anos ou tem um visto de nao imigrante dos EUA podem fazer todos o proceso online (eTA – electronic travel authorization) que é muito mais simples e custa somente 7 Euros!

 

Consulado do Canadá em Sao Paulo

Av. das Nações Unidas, 12.901, 16º andar – Brooklin
Centro Empresarial Nações Unidas – Torre Norte
São Paulo – SP – Brasil
Tel.: +55 (11) 5509.4343
Fax.: +55 (11) 5509.4262
E-mails: saopaulo-im-enquiry@international.gc.ca