Austria · Europa · Viena

Viena // Ringstraße e as principais atrações do Centro

A Ringstraße é uma avenida circular, da década de 1860, circundando o distrito de Innere Stadt, o distrito mais antigo e centrico da cidade. É o principal cartao postal de Viena e ponto de partida para um roteiro a pé pela cidade.

A avenida foi construída seguindo uma antiga muralha, que servia para proteger a cidade. Com o tempo, os nobres ficaram sem espaço para construir seus palacetes dentro do centro da cidade e começaram a fazê-lo do lado de fora dos muros. Desta forma, percebeu-se que o atual cenário mundial não impunha mais a utilização de muralhas protetores. O Ringstraße ainda circunda o Centro Antigo de Viena, como a muralha original o fazia séculos atrás.

Na Ringstraße estão os principais palácios, área de pedestres, os museus, o Volkspark e as principais atrações da cidade. Em seu final, bem em frente o Volkspark está o Palácio de Hofburg e  a prefeitura, a Hathaus, com uma torre central de mais de cem metros.

O palácio mais famosos é o Hofburg, antiga residência dos Habsburg, é um complexo de residências imperiais, museu, biblioteca, escola de equitação, capela, igreja e sede do poder Austríaco.

Compramos o ingresso na própria bilheteria sem filas e o que mais gostamos foram os aposentos reais e as coroas, louças em ouro, prata e porcelana e jóias, mas fotos lá dentro sao proibidas.

No complexo também está o Museu da Sissi, que inclui a ala com seus aposentos e utensílios como uma ‘espremedora de carne de pato’. A Imperatriz vivia de diet e só tomava suco de carne de pato.

Lá também está a Escola de Equitação de Viena que foi fundada em 1572, e nela os Habsburg formaram o Spanische Reitschule, que logo se tornou um padrão mundial no adestramento de cavalos.

Seguindo pela avenida Ring, chega-se ao Kunsthistorisches Museum com as obras de arte acumuladas pela dinastia Habsburg e em frente o Naturhistorisches Museum ou o Museu de História Natural de Viena.

Depois siga sua caminhada até a Mariahilfe Strasse, principal rua de comércio de Viena, onde estão as principais lojas de departamento da cidade.

A rua de pedestres mais importante é a Graben, mas também vale percorrer as vizinhas Kärntner e Kolmarkt, e se perder por ali passeando entre os cafés e confeitarias com suas mesinhas na rua. Os confeiteiros de Viena tem fama internacional e as frutas de mazipã são obras de arte deliciosas. Na Dorotheergasse está a famosa sanduicheria Trzesniewski, que merece um post a parte.

A partir da rua Kärtner chega-se a Stephanplatz onde fica a Catedral Stephansdom com sua torre de 137m de altura. A catedral gótica encontra-se no centro de Innere Stadt e seus 343 degraus conduzem a uma estreita plataforma de onde se pode admirar lindas vistas de Viena. Erguida em 1358 no lugar de uma igreja do século 12, esta catedral possui também resquícios arquitetônicos romanos.

Na praça há várias atrações de rua como shows de marionetes e diversas lojas de souvenir que vendem os famosos marzipãs de Mozart.

Próximo dali fica o Schloss Belvedere, que significa Bela Vista, e que foi batizado por Maria Theresa. Em estilo Barroco também foi ocupado pelo Imperador Franz Joseph e pela Imperatriz Elisabeth. A cidade de Viena impressiona pela beleza, pelas avenidas amplas, bem cuidadas e arborizadas e pela elegância e eduação dos moradores. O transporte é excelente com bondes, ônibus e metrô que te leva para todos os pontos turísticos.

Ficamos hospedados no hotel Ibis Mariahilf bem no centro e ao lado da estação do metrô.

Espanha · Europa · Madrid

Madrid | Estádio Santiago Bernabeu, compras e tapas!

Nesse dia acordamos cedo e fomos visitar a parte ‘nobre’ de Madrid, o Bairro de Salamanca.

O bairro é um ponto turístico imperdível na Capital Madrileña e é conhecido pela “Milha de Ouro” que abriga maiores marcas de moda, decoração e joalharia.

Subimos o famoso Paseo de la Castellana e chegamos às principais ruas de compras de luxo de Madrid: as ruas Serrano, Ortega y Gasset, Velázquez, Lagasca, Ayala ou Claudio Coello.

Várias marcas internacionais como Bulgari, Cartier, Tiffany, Manolo Blahnik, John Galiano, Carolina Herrera, Armani, Missoni, Gucci, Dolce & Gabanna, . Louis Vuitton, LouboutinHermésmuitas marcas americanas como Tommy Hilfiger, DKNY e Marc Jacobs.

Na rua Goya estão as lojas mais acessíveis como Zara, El Corte Inglés, várias franchisings internacionais e muitas lojas made in Spain como a Lefties (outlet da Zara), Desigual e Uno de 50.

É também possível dar uma volta pelos arredores da rua Príncipe de Vergara, tanto no caso de pretender mobiliar a sua casa com peças antigas, como se estiver à procura de um mobiliário ou decoração de vanguarda.

De Janeiro a Março, no Inverno, e de Junho a Setembro a maioria dessas lojas entram em promoção, as famosas “rebajas” e os preços se tornam mais acessíveis.

Depois dessa caminhada todas passamos pela rua Juan Bravo e demos de cara com o Restaurante St. James que possui a fama de servir a melhor paella da cidade (estação de metrô Nuñez de Balboa). Infelizmente eles só abriam depois das 13:00 então continuamos o passeio e pegamos o metrô até a Estação Santiago Bernabeu. Se tiver a oportunidade, ele é muito bem comentado.

A 300 metros dessa estação fica o Estádio Santiago Bernabeu, o Estádio do Real Madrid.

O Tour custa €20 e acontece todos os dias das 10:00 às 19:00. Ele dá acesso a todo o Estádio que foi construído da década de 40 e é um dos melhores/ mais confortáveis lugares para se assitir futebol na Espanha.

Durante o tour você tem acesso à uma plataforma de observação ‘aérea’ do Estádio, a parte interior do estádio, o Museu do Real Madrid, o vestiário, o túnel de entrada dos jogadores, os bancos de reservas e a sala de imprensa.

Outra opção para visitar o Estádio é comprar ingressos para um dos jogos do Real Madrid (entre Agosto e Maio). O Estádio abre com 5 horas de antecedência ao início do jogo. Basta comprar no próprio site oficial do clube.

Na volta paramos para um almo-janta no Mercado San Antón que fica no bairro Chuecas bem pertinho do nosso hotel. O Mercado é super organizado em um prédio de 3 andares com corners vendendo peixes, verduras e as famosas tapas!

Como eu já disse sou apaixonada por esse estilo ‘tapas’ de comer. Sempre quero experimentar todas as novidades da culinárias local, somos verdadeiros desbravadores, e com as tapas consigo experimentar muito mais.

As tapas custam a partir € 1 e vão dos mais variados frutos do mar, polvo a galega, paella, patatas bravas (um dos meus preferidos – adoro!) às taças de vinho a partir de € 2,5. Os preços são ligeiramente menores que os do Mercado San Miguel que comentei aqui.

Fechamos o dia no Aeroporto de Barajas em um vôo para a Cidade do Porto em Portugal. Continue lendo aqui.

Espanha · Europa · Santiago de Compostela

Caminho de Santiago de Compostela (Caminho Português de carro)

Fizemos um bate e volta para Santiago de Compostela a partir da cidade do Porto. Alugamos um carro na Autoeuropa, sempre faço a reserva prévia do Brasil (porque sai muito mais barato fazer com antecedência), e permanecemos com o carro por 4 dias. Cruzamos Portugal de Norte a Sul, passando por Coimbra, Fátima, Sintra, Cais Cais e Lisboa que conto nesses posts aqui.

O caminho surgiu a partir da descoberta, no século IX, do túmulo do apóstolo São Tiago cujo lugar se tornou a cidade de Santiago de Compostela. Não demorou para que devotos de toda a Europa começassem a empreender longas viagens para chegar ao corpo do homem que foi discípulo de Jesus Cristo.

Ao longo das rotas de peregrinação foram construídos castelos, igrejas, ermidas, pontes, muralhas, mosteiros e até cidades inteiras. Tudo rodeado por paisagens deslumbrantes.

Existem muitos caminhos que levam até a cidade de Santiago de Compostela. A mais populares é o “Caminho Francês”, que tem início no interior da França e entra na Espanha e tem cerca de 800 km. Nós fizemos o Caminho Português que é o mais curto com cerca de 237 km e de carro.

A pé os peregrinos percorrem uma média de 30 km por dia, ou seja, este caminho levaria em média 10 dias para ser concluído contra 30 dias do Caminho Francês mais tradicional. A fronteira entre Portugal e Espanha é livre e não houve nenhum tipo de controle.

Inicialmente eu achei que a cidade seria bem pequena e nem planejei nada, pois achei que seria bem fácil encontrar a Catedral.

Ledo engano… a cidade é bem grande e o centro histórico é medieval, ou seja, só pode ser percorrido a pé com várias subidas e descidas.

Outra dificuldade é estacionar o carro porque a cidade é lotada. Mas tudo é compensado pelo visual da estrada que é bem bonito e pelo charme e energia da cidade. Logo na entrada você já começa a ver os peregrinos chegando e é só seguí-los para chegar à Catedral que é enorme e linda.

A Catedral realmente é o ponto alto da visita! Existe há somente 800 anos e é onde está o sepulcro do Apóstolo Tiago.

Segundo a tradição católica, o apóstolo Tiago difundiu o cristianismo na Península Ibérica por isso a construção da Catedral em 1075. O interior é todo decorado com ouro, assim como o sepulcro onde se pode fazer um pedido na estátua de ouro do Apóstolo com a mão sobre a estampa de uma vieira.

A concha da vieira é o símbolo do peregrino e é usada durante o caminho geralmente pendurada no pescoço, bicicleta ou na mochila. Ela significa proteção e busca de conhecimento e deve-se devolvê-la ao mar depois de completado o caminho. Assim você agradece pela proteção e diz que o conhecimento adquirido não é seu e sim de todos, e que você o disponibiliza a todos.

Depois de visitar a Catedral nos perdemos pelas ruazinhas charmosas da cidade, tirando foto de cada cantinho.

Visitamos a Universidade e passamos por vários café fofos e barzinhos. Afinal, nao se pode esquecer que Santiago de Compostela é uma cidade universitária também!

A cidade é realmente muito bonita e bastante turística, cheia de lojinhas de souvenirs e restaurantes charmosos. Mesmo para quem não percorreu o caminho a pé, vale muito a pena visitar a cidade. Mas o que tem para fazer lá?

Muito! Primeiro se você gosta de história, de cidadezinhas medievais, de visitar castelos, conventos e seus doces de ovos e todo aquele estilo de cidade europeia antiga, Santiago é um prato mais que cheio.

Além disso, Santiago de Compostela é a capital da Galícia, que não lembra dos gauleses Asterix, Obelix, Panoramix e companhia? A proximidade com o mar também resulta em pratos deliciosos e baratos de frutos do mar com temperos bem específicos da região como Polvo à Galega, incrível!

Além disso tudo, a carne da Galícia é a melhor da Espanha, nao deixe de provar um bom chuletón. Encontramos um restaurante delicioso com uma jardim todo florido e bem cuidado e cujas mesas ficavam instaladas sob árvores frondosas e muitas flores. Uma experiência inesquecível.

Alemanha · Europa · Munique

Marienplatz e passeio pelo Centro de Munique

Chegamos em Munique a partir de Viena e paramos na estação central (München Hbf) que fica a poucos passos da Marienplatz, a praça mais famosa de Munique.

Ficamos no Marc Hotel que é estrategicamente localizado entre a estação central e a praça, tudo super acessível a pé. Outra vantagem foi poder tomar café da manhã todos os dias não estação, que tinha com uma opção melhor do que a outra, nunca vi uma estaçao de trens assim, e com o melhor croissant de chocolate da Alemanha, comia um todos os dias!

Na nossa primeira manhã caminhamos até a Marienplatz, a praça central de Munique desde 1168! Ela foi batizada por causa da coluna Mariensäule que fica bem no centro da praça e que é uma homenagem ao fim da invasao sueca à Alemanha. Na Idade Média essa praça era dominada por mercados e torneios, já imaginou!?

Hoje as atraçoes principais sao a Neues Rathaus, ou a nova prefeitura e a Altes Rathaus, o prédio da antiga prefeitura, em estilo gótico e erguido em 1470!

Na sua torre, às 11h em ponto (e também às 17h) começa o espetáculo do Glockenspiel, o relógio que foi construído inspirado nos torneios que aconteciam ali na praça.

Tem camponês, tem cavaleiro, tem rei e vários outros personagens da época. A apresentação de bonecos de madeira é embalada pela música de 43 sinos do carrilhão.

O espetáculo dura 8 minutos e a praça lota de turistas. Vários restaurantes tem suas mesas voltadas para o relógio em frente para que seus clientes possam assistir ao show. Pegamos um dessas mesinhas, tomamos uma cerveja e gravamos o número todo. A dança representa a primeira, realizada em 1517, para animar os cidadãos ameaçados pela peste.

Logo atrás da Neues Rathaus está a Frauenkirche (Catedral de Nossa Senhora Bendita), construída em estilo gótico e famosa pelos domos sobre as torres. A igreja é uma das maiores estruturas góticas do Sul da Alemanha.

A prefeitura proibiu a construção de prédios com mais de 100m de altura nas proximidades da ingreja e é possível subir em sua torre e ter uma vista panorâmica da cidade.

Um pouco mais para frente está o Viktualienmarkt (Viktualienmarkt 3, 80331 München, Alemania) um misto de Biergarten com mercado de rua. É o local ideal para começar a se aventurar nas comidas típicas.

Lá há uma enorme quantidade de barracas vendendo queijos, pimentas, salsichas, pães, flores além de uma grande variedades de restaurantes e bares com vários tipos de cerveja e comida.

Há uma grande área livre com bancos, ou seja, ujm verdadeiro Biergarten para que você possa escolher sua comida e curtir a tarde sob o sol. Nos esbaldamos em camarões e lagostas enormes a preços módicos. Simplesmente delicioso!!

O Viktualienmarkt fica aberto o ano inteiro de segunda a sexta das 10 as 18 e aos sábados até as 15 horas. A estação de metrô mais próxima é Marienplatz. De lá seguimos nos perdendo pelas ruazinhas até que chegamos à Hofbräuhaus, mas isso já é assunto para outro post.

Américas · Canadá · Montreal

Montreal: Compras, Clima, Transporte, Acomodação e Restaurantes

Viajamos em pleno inverno canadense porque queríamos conhecer a sensação de viver em um lugar abaixo de zero. E Montreal, por acaso, foi onde pegamos as temperaturas mais baixas da viagem uma média -26ºC de dia a -37ºC à noite.

 

Com essas temperaturas, mesmo estando vestidos corretamente – leia o post que escrevi de como se vestir no inverno – não dava pra fica andando por muito tempo na rua. Era um tal de 500 metros, entra em um café, mais 500 metros, entra no metrô, em um shopping, em uma atração fechada e por aí vai.

 

Mas a experiência foi incrível, de saber como as pessoas convivem com esse clima, as crianças todas encapotadas parecendo que nem sentiam nada, o pessoal tirando quilos de neve da calçada, as ruas escorregadias, as botas Sorel detonadas de barro, os diversos e inimagináveis tipos de casacos, luvas e gorros para extremo frio… muito enriquecedor.

 

-Transporte

O metrô de Montreal é excelente e vai te levar para todos os cantos da cidade. Vale a pena comprar o ticket de dia inteiro. Na estação central Berri-UQAM estão interligados metrô, trem e ônibus (de viagem). É muito fácil de ser usado; usamos metrô e ônibus na cidade só para descer e subir uma rua de tanto frio que fazia e também fomos até Mont Tremblant de ônibus porque nao tínhamos Carteira Internacional de Habilitaçao e foi muito bom também. Veja a viagem a Mont Tremblant aqui.

 

-Acomodação

Ficamos no Hotel Stay Centre Ville do lado da estação Berri-UQAM, localização perfeita, e demos a sorte de nao ficar no hotem ,mas em dos flats que eles tem, com dois quartos, sala e cozinha por módicos 36 Euros por noite! Melhor impossível e ainda por cima na rua de cima da Rue St. Catherine, a mais charmosa da cidade.

-Restaurantes

Como estávamos em um flat compramos muitas coisas no mercado e cozinhamos no apartamento.

Jantar de um dos dias, fazia frio de mais para sair…

Mas como indicação de uma amiga minha que mora lá saimos para experimentar o prato típico da parte francesa do Canadá – o poutine. E o recomendadíssimo lugar é o Poutine Ville que ela garantiu que tem o melhor poutine do Canadá. DE-LI-CI-O-SO!

 

Também comemos Poutine em um restaurante na Praça de Alimentaçao do Eaton Center, o New York Fries que foi muito bom, mas sem comparaçoes com o do Poutine Ville.

 

-Compras

Os melhores lugares para Compras em Montreal sao:

Rua Saint Catherine: Essa rua enorme, além de super charmosa, tem a maior variedade de marcas para comprar em Montreal: Forever 21, Apple, GAP, H&M, , Swatch, Adidas etc. Basta descer nas estações Peel e Guy-Concordia. Nessa rua também fica o Eaton Centre, que nao é tao bom quanto o de Toronto, mas em Montreal é um dos prinicpais shoppings.

Eaton Center (705 Rue Saint-Catherine, Montreal): Como disse acima é um dos maiores shoppings da cidade, conectado ao metrô (Dundas) e à RESO (Cidade Subterranea de Montreal) com várias lojas de marcas conhecidas como Guess, GAP, Levi’s, Foot Locker, Lindt,  Sunglass Hut, Best Buy além de uma praá de alimentaçao enorme.

Rogério e Renato claro, compraram o mesmo sapato. 🙂
Rogério impressionado com a loja de mil sabores de pipoca.

RESO ou Cidade Subterrânea de Montreal (747 Rue du Square-Victoria, Montreal) : São mais de 1.500 lojas e vários restaurantes conectados a várias estaçoes do metrô. É praticamente uma outra cidade debaixo de Montreal, com aproximadamente 30 quilômetros de túneis e corredores e ideal para quem, assim como nós vai para lá na época de Natal quando realmente faz muito frio.