Argentina · Chile · Mendoza · Santiago

Mendoza | Atravessando as Cordilheiras dos Andes

Depois de passear pela cidade corremos para o aeroporto para pegar o vôo das 12 para Mendoza. É possível fazer o caminho de ônibus e quem fez fala que é imperdível, com exceção do cara do meu hostel que achou que ia morrer nas curvas (tipo a estrada da morte da Bolívia rs – só faltou a camiseta ‘I survived the death road’). Mas leva 6h e não queríamos aproveitar Mendoza ao máximo (isso significa tomar a maior quantidade de vinho/ minuto possível – NOT! rs).

Além disso, uma dica é ir para Mendoza a partir de Santiago e não de BsAs como a maioria faz. As passagens saem pela metade do preço. A partir de BsAs sai cerca de R$400 (ida e volta) e a partir de Santiago sai R$200 (ida e volta) pela Aerolíneas e leva 40 minutos. Como o Chile é um país alto o vôo resulta em 40 minutos de fotografias e filminhos constantes com direito a gritinhos quando aparece a neve rs. As Cordilheiras ficam muito próximas de nós.

Chegamos às 12h30 e fomos direto para o Hotel Argentino onde ficaremos durante os dias em Mendoza.

É o típico hotel BBB e fica perto dos principais pontos da cidade.

Mendoza é uma cidade relativamente grande, mas compacta. Os grandes atrativos estão fora da cidade como os vinhedos, o Aconcágua e os vulcões e os esportes radicais. Mas vale também conhecer a cidade. Basta se perder por suas ruas e usar o táxi (q é bem barato) para distancias maiores. No mapa estão as minhas dicas de lugares must go na cidade.

A – Hotel Argentino

B – Winery (loja especializada em vinhos)

C – Peatonal Sarmiento

D- Restaurante La Bourgnogne (dentro do Hotel Diplomatic)

E – Restaurante 1884

F- Calle Aristides Villanueva (rua de lojas legais, bares e restaurantes

G – Restaurante Azafran

H – Anna Bistrot

As agências de turismo ficam em volta da Plaza Independencia.

Depois de deixar as malas no hotel fomos almoãr no La Bourgogne dentro do Hotel Diplomatic. Este restaurante é francês e comandado pelo chef  Jean-Paul Bondoux. Tanto o ambiente quanto a comida são incríveis e com o peso a R$0,43, é como ganhar 50% de desconto em tudo o que vc compra!!!

Hall de entrada do hotel
Entrada do restaurante La Bourgnogne

Lá tudo é impecável e como manda o figurino tipo 15 tipos de talheres, 23 tipos de copos e assim vai… Ele existe também em BsAs e Punta del Leste. Você escolhe uma entrada, um prato principal e uma sobremesa dentre as opções e pode ou não harmonizar com vinho. Foi tudo muito bom.

Nhoque de Batatas iguais aos da minha avó que é a melhor da melhor do mundo em fazer nhoques!!!!

Não houve espaço para a sobremesa e depois disso fomos caminhar e procurar um agência para fechar o passeio para o Aconcágua que faremos amanhã (quer dizer hoje de manhã). Sairemos às 7h45 e voltaremos às 19h. Vou dormir agora senão não acord0. Aqui não tem horário de verão então já é 1am. Nos próximos posts conto do nosso jantar no restaurante do Francis Mallmann e das duas primeiras vinículas que conhecemos ontem e conto como foi ver o Aconcágua. Vou estrear a minha máquina fotográfica nova em paisagens!!!!!!

Chile · Santiago

Santiago | Dicas práticas de roteiro, transporte e hotel

O que conhecer

Acredito que quatro dias sejam suficientes para conhecer Santiago sendo que um deles você pode usar para conhecer Valparaíso e Viña del Mar, no verão, e, no inverno, uma das estações de esqui da região – Valle Nevado, El Colorado e Farellones.

Viña del mar

Valparaiso

Santiago é uma cidade que pode ser visitada o ano todo e emendada com outras cidades como San Pedro de Atacama, ao norte ou Puerto Montt ao sul, entrada para o Cruce de Lagos e para a Patagônia.

AtacamaConcha y Toro

Outro passeio legal é conhecer uma vinícula seja a Concha y Toro, a mais famosa e que dá para conhecer em meio dia ou as mais distantes que ficam no Vale do Colchágua, como a famosa Undurraga a 34km de Santiago.

Chile

Santiago

As duas principais agências de turismo são a Turistik e a TurisTour que oferecem tour para vários passeios na região. Nós usamos a Turistour e aprovamos.

A cidade não é muito grande e as atrações estão concentradas mais perto do Centro.

Clima e Temperatura

O clima é bem seco, algo que eu não imaginava antes da primeira visita, então vale o mesmo kit do deserto, mas mais simplificado: hidratante, protetor labial e solar, colírio e rinossoro, principalmente para nós brasileiros que estamos acostumados com a umidade da Floresta Amazônica.

material para deserto

No verão as temperaturas são altas, mas de manhã cedo à noite faz um friozinho. No inverno costuma ser como o sul do Brasil.

Onde ficar

A cidade é bem segura e policiada, organizada e limpa. O índice de analfabetismo é zero e o governo lidera um programa chamado ‘Un Techo para Chile’ que constrói casas para a população e ninguém fica sem um teto para chamar de seu.

Da primeira vez que visitamos ficamos no bairro da Providência, super bem localizado, bem pertinho da Bella Vista com seus restaurantes e bares. O bairro é muito bem cuidado, cheio de lojinhas e o hotel que escolhemos era bem próximo à estação Salvador do metrô.

Santiago

Santiago

Na Providência encontramos um achado e já ficamos lá duas vezes: a Posada del Salvador simples e limpa, com quartos grandes, ótimo café da manhã e o senhorzinho que é o dono do hotel e que cuida de tudo pessoalmente é ótimo, Super preocupado, indica restaurantes, tem cartões de táxi e serviço de despertador.

Da segunda vez decidimos ficar no centro para ter uma outra visão da cidade, mas só ficamos um dia. Feio, barulhento e um pouco suspeito. Mudamos no dia seguinte para o mesmo hotel de antes na Providência.

Apesar de não ter gostado do bairro, o hotel era muito bom, simples também, mas com tudo o que era necessário inclusive wireless. Ficamos no Princesa Insolente Hostal que nos serviu bem.

Transporte

Santiago é uma cidade plana e pode ser percorrida a pé. O metrô serve bem todos os principais pontos turísticos e para distâncias um pouco maiores os táxis são baratos.

Santiago

A opção do centro é boa para quem vai fazer uma escala para ir à Mendoza ou aos Lagos/ Patagônia porque é mais perto do aeroporto e o valor do táxi sai quase a metade. Mas para quem quer curtir a cidade sem dúvida a Providência.

Para quem gosta de luxo e modernidade o melhor lugar é Las Condes, mas fica um pouco mais afastado das principais atrações.

Américas · Chile · Deserto do Atacama · Santiago

Dicas de restaurantes em Santiago do Chile e Atacama

O Chile é um país extenso e por isso apresenta vários micro climas que influenciam na agricultura e nos diferentes sabores: ao norte, nas terras áridas o destaque fica para a quinua e a carne de lhama. Mais ao centro e ao sul os peixes e frutos do mar são o destaque com suas formas e sabores desconhecidos para nós brasileiros acostumados com as águas mais quentes do Oceano Atlântico.

A bebida mais famosa é o Pisco Sour, uma mistura de pisco, limão, açúcar e clara de ovo em neve. Bem geladinha é deliciosa.

Além do Pisco Sour, outra bebida típica e não alcóolica é o ‘Mate con Huesillos’ que é um chá mate gelado com pêssego seco e grãos de trigo cozido, que parecem milho. Parece estranho, mas é gostoso e é vendido nas barraquinhas no Cerro San Cristóbal.

Há uma herança espanhola e sobretudo andina nos pratos mais típicos como o Pastel de Choclo, ou bolo de milho recheado com carne e as empanadas.

Os peixes mais famosos são o Congrio e a Corvina. Dentre os mariscos destacam-se as machas e picorocos e o principal prato é o Chupe de Mariscos onde são cozindos em um molho de pão. Não deixe de experimentar o ceviche!

Não há pão francês, o pão típico chileno se chama ayuya e é uma delícia, tipo um pão árabe. Vale provar, no seu café da manhã no hotel com certeza não vai faltar e tem em todas as padarias/ lanchonetes.

Em Santiago, há muitas opções de restaurantes e abaixo estão as que fomos e recomendo:

Mercado Central

 

O melhor lugar para comprar peixes, frutos do mar e experimentar uma comida bem típica é no Mercado Central onde há vários restaurantes muito bons. O destaque do lugar é a centolla, um caranguejo bem grande de águas geladas.

É mais ou menos como o nosso Mercado Municipal de SP, mas bem menor. Comemos no El Gastón e adoramos.

 

Como Água para Chocolate

Esse restaurante é unamidade entre os melhores de Santiago e fica no famoso bairro da Bella Vista. Fica uma casinha toda colorida inspirada no filme de mesmo nome. O lugar é disputadíssimo e é preciso fazer reserva pelo site com antecedência. A decoração é bem criativa e acomida é deliciosa. A cozinha é auto intitulada ‘mágica-afrodisíaca’. Começamos com um pisco sour muito bem feito que combinou perfeitamente com entrada de tapas.

Para o prato principal fomos de Congrio com crosta de castanhas e molho de espinafre que estava de lamber os dedos. Para a sobremesa uma trilogia de chocolates belgas com calda de framboesas.

Empório La Rosa

Para um lanche rápido e para um dos melhores sorvetes de Santiago o Empório Las Rosas é a pedida. Os sorvetes são artesanais, cremosos e de sabores exóticos como pétala de rosa (meu preferido), choco-chili e pimenta negra. Há varios sucos-gourmet com um com laranja, manga e água de rosas que o Rogério me pede para reproduzir toda hora, empanadas e o melhor mil folhas!

Le Fournil

O Le Fournil é um bristrô francês e café, localizado no nível superior do Patio Bellavista. O ambiente é agradável e a comida é muito boa. Chegou a ganhar prêmios de “melhor prato” em 2010 e 2011.

Bali Hai

Um restaurante que gostamos bastante também foi o Bali Hai onde jantamos na noite de Natal, bem animado acompanhado de um show de dança Rapa Nui.

 

 

Américas · Chile · Santiago

Santiago | Visita à Vinícula Concha y Toro

Na tarde do segundo dia fomos conhecer a Vinícola Concha y Toro, a maior do Chile e uma das maiores produtoras de vinho do mundo com 12 marcas próprias de vinho, entre as mais famosas:Don Melchor, Casillero del Diablo e Marques de Casa Concha.

3

A vinícola fica a cerca de 1h de Santiago na rua Virginia Subercaseaux 210, nomunicípio de Pirque.. Fomos de metrô, a forma mais fácil:basta pegar a linha azul até a estação Las Mercedez.

Santiago

Depois pegamosum táxi até a porta da vinícula que levou cerca de 10 minutos. Se quiser já combine com o taxista para que ele te pegue depois do tour que leva cerca de 1h30, pois não passam tatáxis no local.

Chegamos em cima da hora e como já havia feito reserva com antecedência conseguimos alcançar o grupo que já estava começando a assitir o vídeo sobre a vinícula. Aliás fazer reserva da visita no site oficial da vinícola é essencial para garantir uma vaga, pois os passeios são muito concorridos e se esgotam logo.

Santiago

Nosso tour durou cerca 1h30 e contou com duas degustações de vinhos. Todas as explicações são dadas em espanhol.

A visita começa com vídeo que conta a história da vinícula e em seguida a guia dá as primeiras explicações e curiosidades sobre a Concha y Toro.

Santiago

Em seguida fomos até a Casa da Família Don Melchor, um enorme casarão em estilo colonial onde a família morava na época da fundação da vinícula em 1883.

Santiago

Os jardins são muito bem elaborados e em estilo inglês. Foram encomendados pela família a um arquiteto Inglês. Há um grande lago e vários animais como patos e ovelhas.

Santiago

Visitamos então os vinhedos onde conhecemos um pouco mais sobre o solo, o clima e como eles influenciam as uvas e por consequência o sabor dos vinhos.

Santiago

Somos então encaminhados à sede onde acontecem as degustações. O primeiro vinho era um branco da marca Marques de Casa Concha. Recebemos uma taça para prová-lo que fica de lembrança do lugar.

O pessoal começou a pedir para degustar um Don Melchor, o vinho mais top da vinícula e a guia atendeu aos pedidos.

Seguimos para asadegas, localizadas em grandes galpões climatizados onde são armazenados os barris de carvalho para a fermentação do vinho.

Santiago

Uma dessas adegas é subterrânea e chamada de Casillero del Diablo, o mesmo nome de um dos vinhos mais conhecidos da vinícola.

A adega e o vinho possuem este nome por causa de uma lenda que por muito tempo assustou os moradores da região e que foi criada pelo próprio Dom Melchior. Ele armazenava nessa adega os vinhos de melhor qualidade da vinícula e percebeu que alguém os estava roubando.

Santiago

Inventou então uma história de que havia um diabo no local o que deixou o pessoal que morava no local muito assustado. Desde então ninguém mais teve coragem de entrarna adega e as garrafas pararam de sumir. Diz a lenda que ele próprio de fantasiava de diabo para assustar os moradores.

No final entramos em uma sala, onde um sommelier nos ofereceu, desta vez,um vinho tinto da marca Marques de Casa Concha.

A visita terminou no Wine bar onde pudemos continuar a degustação etambém comprar alguns exemplares..

Para a volta pegamos um táxi na porta da vinícula até a estação de metrô e fizemos o caminho inverso.

Vinícula Concha y Toro

Avda. Virginia Subercaseaux 210, Pirque, Santiago

Américas · Chile · Santiago

Roteiro pelo centro de Santiago

A melhor forma de percorrer esta de Santiago área é a pé. Basta descer na estação Plaza de Armas e caminhar. As principais atrações estão em volta da praça (o km 0 do país) como o prédio doCorreio do Chile, a Municipalidade de Santiago, a Bolsa de Comercio e a Catedral Metropolitana.

Santiago

Santiago

De lá caminhamos até o Paseo Ahumadacom grandes lojas de depratamento como a Falabella, restaurantes e o famoso Café con Piernas.

Santiago

Pegamos a rua Compañía, localizada no começo da rua Ahumada e no final da Plaza de Armas, e visitamos ex Congresso da República e o Palácio de Tribunais.

Santiago

A seguinte quadra é o Paseo Huérfanos, que sai no morro Santa Lucía, que é o ponto de referência da conquista espanhola, com antigos torreões e canhões.

Na rua Moneda localiza-se o Palácio de la Moneda, sede do poder executivo.

Santiago

Programe-se para chegar a tempo para a troca da guarda, um espetáculo com banda e cavalos.Os dias e horário podem ser consultados aqui.

Santiago

Chegamos até a Plaza de La Constitución, com estátuas de figuras emblemáticas da história republicana nacional; e o Centro Cultural de La Moneda, subterrâneo à praça, que conta com ótimas exibições.

Santiago

Visitamos a exposição dos Guerreiros de Terracota de Xian originais trazidos da China. Incrível!

Seguimos para o Cerro San Cristóbal, o maior morro da região central, que possui um Santuário à Virgem Imaculada Conceição no topo e vista panorâmica de toda a cidade.

O Cerro fica dentro do Parque Metropolitano que é uma espécie de Parque do Ibirapuera Chileno. É o maior parque de Santiago e possui diversas atrações como bosques, piscinas, trilhas e zoológico.

Na entrada da rua Pío Nono há uma grande praça com um guichê de informações, mapa do local, uma feirinha de artesanatos e entrada para veículos, além da estação do funicular, o principal meio de transporte utilizado para subir o cerro. Também é possível subir a pé e de bicicleta, ou então de carro até uma certa parte. Nós subimos de carro.

Santiago

Lá no alto a visibilidade geralmente está um pouco ‘embaçada’ devido a grande camada de poluição/ smog que há sobre a cidade.

Santiago

De lá descemos até Bella Vista, o melhor lugar para comprar as jóias de prata com lapis lázulis, a pedra mais famosa do Chile. São várias lojinhas, uma do lado da outra, é só entrar e pesquisar.

Santiago

Depois das compras pegamos um táxi para o Mercado Central onde almoçamos Centolla no El Gastón.

Santiago

Pela principal avenida de Santiago, a avenida Libertador Bernardo O’Higgins ou Alameda chega-se à Providencia, que é um bairro bem comercial e cheio de lojinhas, e em seguida à Las Condes e Vitacura que são bairros nobres com avenidas largas, edifícios modernos e muitos prédios comerciais.

Santiago

Os dois principais shoppings são o Shopping Parque Arauco e o Shopping Alto Las Condes. Visitamos esse último e achamos os preços muito bons, mas as maiores marcas como Diesel, Adidas entre outras estão no Parque Arauco, que é o maior da cidade.