Argentina · Chile · Mendoza · Santiago

Mendoza | Atravessando as Cordilheiras dos Andes

Depois de passear pela cidade corremos para o aeroporto para pegar o vôo das 12 para Mendoza. É possível fazer o caminho de ônibus e quem fez fala que é imperdível, com exceção do cara do meu hostel que achou que ia morrer nas curvas (tipo a estrada da morte da Bolívia rs – só faltou a camiseta ‘I survived the death road’). Mas leva 6h e não queríamos aproveitar Mendoza ao máximo (isso significa tomar a maior quantidade de vinho/ minuto possível – NOT! rs).

Além disso, uma dica é ir para Mendoza a partir de Santiago e não de BsAs como a maioria faz. As passagens saem pela metade do preço. A partir de BsAs sai cerca de R$400 (ida e volta) e a partir de Santiago sai R$200 (ida e volta) pela Aerolíneas e leva 40 minutos. Como o Chile é um país alto o vôo resulta em 40 minutos de fotografias e filminhos constantes com direito a gritinhos quando aparece a neve rs. As Cordilheiras ficam muito próximas de nós.

Chegamos às 12h30 e fomos direto para o Hotel Argentino onde ficaremos durante os dias em Mendoza.

É o típico hotel BBB e fica perto dos principais pontos da cidade.

Mendoza é uma cidade relativamente grande, mas compacta. Os grandes atrativos estão fora da cidade como os vinhedos, o Aconcágua e os vulcões e os esportes radicais. Mas vale também conhecer a cidade. Basta se perder por suas ruas e usar o táxi (q é bem barato) para distancias maiores. No mapa estão as minhas dicas de lugares must go na cidade.

A – Hotel Argentino

B – Winery (loja especializada em vinhos)

C – Peatonal Sarmiento

D- Restaurante La Bourgnogne (dentro do Hotel Diplomatic)

E – Restaurante 1884

F- Calle Aristides Villanueva (rua de lojas legais, bares e restaurantes

G – Restaurante Azafran

H – Anna Bistrot

As agências de turismo ficam em volta da Plaza Independencia.

Depois de deixar as malas no hotel fomos almoãr no La Bourgogne dentro do Hotel Diplomatic. Este restaurante é francês e comandado pelo chef  Jean-Paul Bondoux. Tanto o ambiente quanto a comida são incríveis e com o peso a R$0,43, é como ganhar 50% de desconto em tudo o que vc compra!!!

Hall de entrada do hotel
Entrada do restaurante La Bourgnogne

Lá tudo é impecável e como manda o figurino tipo 15 tipos de talheres, 23 tipos de copos e assim vai… Ele existe também em BsAs e Punta del Leste. Você escolhe uma entrada, um prato principal e uma sobremesa dentre as opções e pode ou não harmonizar com vinho. Foi tudo muito bom.

Nhoque de Batatas iguais aos da minha avó que é a melhor da melhor do mundo em fazer nhoques!!!!

Não houve espaço para a sobremesa e depois disso fomos caminhar e procurar um agência para fechar o passeio para o Aconcágua que faremos amanhã (quer dizer hoje de manhã). Sairemos às 7h45 e voltaremos às 19h. Vou dormir agora senão não acord0. Aqui não tem horário de verão então já é 1am. Nos próximos posts conto do nosso jantar no restaurante do Francis Mallmann e das duas primeiras vinículas que conhecemos ontem e conto como foi ver o Aconcágua. Vou estrear a minha máquina fotográfica nova em paisagens!!!!!!

Américas · Chile · Deserto do Atacama

Passeios Deserto do Atacama | Valle de la Luna e Valle de Jerez

Como chegamos nesse mesmo dia na hora do almoço, só há duas opções de passeios de meio dia que saem na parte da tarde do Atacama: a Laguna Cejas e o Valle de la Luna.

A Laguna Cejas é uma lagoa com alta concentração de sal que não te deixa afundar, mas ficamos pensando na coceira que aquilo deveria dar e na reputação do Vale da Lua, que era tido como o único lugar igual à superfície lunar na terra.

Optamos pelo Vale da Lua e valeu muito a pena! Já no caminho o visual é inspirador com a Cordilheira dos Andes e belas imagens dos vulcões Licancabur e Lascar.

Atacama

No caminho paramos do Valle de Jere que é um oásis verde e de água doce no meio do deserto mais árido do mundo.

Vale de Jere

A água permite que o povoado deTtoconao possa se dedicar à agricultura.

Um dos atrativos do lugar é a Quebrada de Jere, uma formação rochosa cujo interior exibe hieroglifos atacameños.

As casas do povoado são construídas com as pedras vulcânicas brancas retiradas da Quebrada.

Outro destaque é que a grande incidência solar propicia o cultivo de uma uva usada na fabricação de um vinho local.

Vale de Jere

A partir de lá, depois de alguns km chegamos aoVale da Lua.

Atacama

O vale de origem vulcânica exibe formações rochosas similares às encontradas na Lua. A beleza do lugar é indescritível e há várias espécies animais e vegetais. Lá há inclusive iguanas africanas que foram trazidas pelos escravos na época da colonização.

Atacama

Atacama

Atacama

Destacam-se as “Três Marias”, o anfiteatro e as cavernas. Há uma grande quantidade de Cristais de sal. O melhor período para visita é no final da tarde porque o calor do dia pode chegar facilmente aos 54°C.

Atacama

Atacama

Atacama

No final do dia, o pôr do sol mais bonito do deserto é o visto do vale. É preciso subir uma duna de areia, que devido à altitude parece bem mais alta do que é. É incrível, mas parece que cada perna sua pesa uma tonelada e levamos quase 10 minutos para subir uns 200 metros.

Atacama

Mas chegando lá em cima, depois de arrumar um lugarzinho na multidão, o visual é compensador. Uma palheta de cores inigualável e jamais vista devido à ausência de poluição.

Atacama

Saimos de lá impressionados com a cena.

PLANEJANDO UMA VIAGEM PARA O ATACAMA?

  • Encomende seu roteiro personalizado com cotação de vôos, hotéis e passeios por selenenascimento@uol.com.br
  • Reserve seu hotel aqui no Atacama
  • Contrate seu seguro saúde para viajar aqui
Chile · Santiago

Santiago | Dicas práticas de roteiro, transporte e hotel

O que conhecer

Acredito que quatro dias sejam suficientes para conhecer Santiago sendo que um deles você pode usar para conhecer Valparaíso e Viña del Mar, no verão, e, no inverno, uma das estações de esqui da região – Valle Nevado, El Colorado e Farellones.

Viña del mar

Valparaiso

Santiago é uma cidade que pode ser visitada o ano todo e emendada com outras cidades como San Pedro de Atacama, ao norte ou Puerto Montt ao sul, entrada para o Cruce de Lagos e para a Patagônia.

AtacamaConcha y Toro

Outro passeio legal é conhecer uma vinícula seja a Concha y Toro, a mais famosa e que dá para conhecer em meio dia ou as mais distantes que ficam no Vale do Colchágua, como a famosa Undurraga a 34km de Santiago.

Chile

Santiago

As duas principais agências de turismo são a Turistik e a TurisTour que oferecem tour para vários passeios na região. Nós usamos a Turistour e aprovamos.

A cidade não é muito grande e as atrações estão concentradas mais perto do Centro.

Clima e Temperatura

O clima é bem seco, algo que eu não imaginava antes da primeira visita, então vale o mesmo kit do deserto, mas mais simplificado: hidratante, protetor labial e solar, colírio e rinossoro, principalmente para nós brasileiros que estamos acostumados com a umidade da Floresta Amazônica.

material para deserto

No verão as temperaturas são altas, mas de manhã cedo à noite faz um friozinho. No inverno costuma ser como o sul do Brasil.

Onde ficar

A cidade é bem segura e policiada, organizada e limpa. O índice de analfabetismo é zero e o governo lidera um programa chamado ‘Un Techo para Chile’ que constrói casas para a população e ninguém fica sem um teto para chamar de seu.

Da primeira vez que visitamos ficamos no bairro da Providência, super bem localizado, bem pertinho da Bella Vista com seus restaurantes e bares. O bairro é muito bem cuidado, cheio de lojinhas e o hotel que escolhemos era bem próximo à estação Salvador do metrô.

Santiago

Santiago

Na Providência encontramos um achado e já ficamos lá duas vezes: a Posada del Salvador simples e limpa, com quartos grandes, ótimo café da manhã e o senhorzinho que é o dono do hotel e que cuida de tudo pessoalmente é ótimo, Super preocupado, indica restaurantes, tem cartões de táxi e serviço de despertador.

Da segunda vez decidimos ficar no centro para ter uma outra visão da cidade, mas só ficamos um dia. Feio, barulhento e um pouco suspeito. Mudamos no dia seguinte para o mesmo hotel de antes na Providência.

Apesar de não ter gostado do bairro, o hotel era muito bom, simples também, mas com tudo o que era necessário inclusive wireless. Ficamos no Princesa Insolente Hostal que nos serviu bem.

Transporte

Santiago é uma cidade plana e pode ser percorrida a pé. O metrô serve bem todos os principais pontos turísticos e para distâncias um pouco maiores os táxis são baratos.

Santiago

A opção do centro é boa para quem vai fazer uma escala para ir à Mendoza ou aos Lagos/ Patagônia porque é mais perto do aeroporto e o valor do táxi sai quase a metade. Mas para quem quer curtir a cidade sem dúvida a Providência.

Para quem gosta de luxo e modernidade o melhor lugar é Las Condes, mas fica um pouco mais afastado das principais atrações.

Américas · Chile · Deserto do Atacama

Chile | Passeios no Deserto do Atacama

O Deserto do Atacama está localizodo na região norte do Chile até a fronteira com o Peru. Com cerca de 1000 km de extensão, é considerado o deserto mais alto (chega a 2.400m) e mais árido do mundo, pois chove muito pouco na região e as temperaturas variam entre 0ºC à noite e 40ºC durante o dia.

Há inúmeras opções de passeios na região e a melhor opção, na minha opinião, é fechá-los por lá mesmo. As agências ficam todas na calle Caracoles, uma do lado da outra, então é possível pesquisar todas as opções e preços e depois fechar com a que mais te agradar. Pesquisamos em umas três, mas não achamos muito confiáveis. Então pedimos referência no nosso hotel e nos indicaram a agência com que tem parceria, a Turistour (o site tem a relação da maioria dos passeios oferecidos). Fomos conhecer e adoramos e acabamos fechando todos passeios por lá mesmo. Não eram os mais baratos, mas os que tinham melhores guias e vans.

Ficamos três dias e duas noites na cidade e para o primeiro dia já fechamos o Vale da Lua que sai sempre na parte da tarde. Para os outros dias escolhemos o passeio para o Salar de Atacama, Lagunas Altiplânicas e Toconao.

Outro passeio bem legal são os Geysers del Tatio, mas desistimos porque era preciso sair às 4am a 0ºC e não tínhamos levado roupas de frio e o Tour Astronômico ou Space Celestial em que você observa o céu através de um super telescópio, o céu do Atacama é um dos mais limpos e estrelados do mundo, e um astrônomo vai explicando todas as constelações.

 

Américas · Chile · Deserto do Atacama · Santiago

Dicas de restaurantes em Santiago do Chile e Atacama

O Chile é um país extenso e por isso apresenta vários micro climas que influenciam na agricultura e nos diferentes sabores: ao norte, nas terras áridas o destaque fica para a quinua e a carne de lhama. Mais ao centro e ao sul os peixes e frutos do mar são o destaque com suas formas e sabores desconhecidos para nós brasileiros acostumados com as águas mais quentes do Oceano Atlântico.

A bebida mais famosa é o Pisco Sour, uma mistura de pisco, limão, açúcar e clara de ovo em neve. Bem geladinha é deliciosa.

Além do Pisco Sour, outra bebida típica e não alcóolica é o ‘Mate con Huesillos’ que é um chá mate gelado com pêssego seco e grãos de trigo cozido, que parecem milho. Parece estranho, mas é gostoso e é vendido nas barraquinhas no Cerro San Cristóbal.

Há uma herança espanhola e sobretudo andina nos pratos mais típicos como o Pastel de Choclo, ou bolo de milho recheado com carne e as empanadas.

Os peixes mais famosos são o Congrio e a Corvina. Dentre os mariscos destacam-se as machas e picorocos e o principal prato é o Chupe de Mariscos onde são cozindos em um molho de pão. Não deixe de experimentar o ceviche!

Não há pão francês, o pão típico chileno se chama ayuya e é uma delícia, tipo um pão árabe. Vale provar, no seu café da manhã no hotel com certeza não vai faltar e tem em todas as padarias/ lanchonetes.

Em Santiago, há muitas opções de restaurantes e abaixo estão as que fomos e recomendo:

Mercado Central

 

O melhor lugar para comprar peixes, frutos do mar e experimentar uma comida bem típica é no Mercado Central onde há vários restaurantes muito bons. O destaque do lugar é a centolla, um caranguejo bem grande de águas geladas.

É mais ou menos como o nosso Mercado Municipal de SP, mas bem menor. Comemos no El Gastón e adoramos.

 

Como Água para Chocolate

Esse restaurante é unamidade entre os melhores de Santiago e fica no famoso bairro da Bella Vista. Fica uma casinha toda colorida inspirada no filme de mesmo nome. O lugar é disputadíssimo e é preciso fazer reserva pelo site com antecedência. A decoração é bem criativa e acomida é deliciosa. A cozinha é auto intitulada ‘mágica-afrodisíaca’. Começamos com um pisco sour muito bem feito que combinou perfeitamente com entrada de tapas.

Para o prato principal fomos de Congrio com crosta de castanhas e molho de espinafre que estava de lamber os dedos. Para a sobremesa uma trilogia de chocolates belgas com calda de framboesas.

Empório La Rosa

Para um lanche rápido e para um dos melhores sorvetes de Santiago o Empório Las Rosas é a pedida. Os sorvetes são artesanais, cremosos e de sabores exóticos como pétala de rosa (meu preferido), choco-chili e pimenta negra. Há varios sucos-gourmet com um com laranja, manga e água de rosas que o Rogério me pede para reproduzir toda hora, empanadas e o melhor mil folhas!

Le Fournil

O Le Fournil é um bristrô francês e café, localizado no nível superior do Patio Bellavista. O ambiente é agradável e a comida é muito boa. Chegou a ganhar prêmios de “melhor prato” em 2010 e 2011.

Bali Hai

Um restaurante que gostamos bastante também foi o Bali Hai onde jantamos na noite de Natal, bem animado acompanhado de um show de dança Rapa Nui.