Espanha · Europa · Granada

Roteiro de 2 dias em Granada (com restaurantes)

Chegamos em Granada de trem a partir de Sevilha em cerca de 3 horas. Ficamos na Pension Suecia, que fica em uma vilinha toda florida e bem tranquila bem no centro histórico da cidade.

A Pousada é simples, mas linda, toda florida e com uma varanda incrível com vista para a Alhambra onde é servido o café da manhã, que é mais do que maravilhoso e completíssimo!!

O atendimento é nota 10 também, é uma pousada familiar e todos sao muito atenciosos.

Chegamos de manhã e já aproveitamos para começar a conhecer a cidade. Descemos a rua Molinos e Pavanera até chegar à Catedral de Granada.

As lojinhas perto da Catedral são uma atração à parte. Você vai encontar de tudo por lá, desde armaduras, facas, espadas até muitos, mas muitos tipos de chás naturais, de tudo o que você possa imaginar, além de frutas secas, geleias e temperos.

A influência árabe aqui já é muito forte e isso se reflete tanto na gastronomia quanto na arquitetura.

As casas de chá são outro reflexo da cultura árabe e sao um ponto turístico indispensável, principalmenet para quem adora chás… ou nao… simplemente vá! O melhor lugar para conhecer uma é nas Calles Caldedería Vieja e Nueva que também concentram uma grande variedade de tendas e lojinhas árabes. A decoração é toda árabe com azulejos, mesas e cadeiras de ferro, bulinhos e bandejas de prata e muita comida árabe.

Há várias, escolha a que mais gostar e desfrute, pesquisei uma seleçao no Google aqui. Escolhemos a Tetería Alibaba para a hora do almoço poque ficava em uma pracinha, a Plazeta San Gonzalo, na porta da Igreja de mesmo nome, em um lugar bem tranquilo e protegido dos turistas.

Fazia calor e queríamos sentar do lado de fora e tivemos a sorte de ter música ao vivo bem em frente!

Além dos pratos árabes delicioso (e preços bons) como kafta, tabule e homus também pedimos uma ‘cachimba’ que é o nosso arguile. A seleção de chás e doces árabes também é ótima.

Nos perdemos pelas ruazinhas até a Plaza Nuova que é a principal da cidade. Lá pegamos o ônibus de turismo (que custa 8 Euros!) para irmos para os lugares mais distantes como o Mirante de San Nicolau.

Foi bem legal fazer um tour pela cidade toda: as Universidades (30% da população e Granada é de universitários), a orla do rio, as várias pracinhas, e o ponto alto do passeio o bairro de Albaicin, outra parada obrigatória.

Albaicín é um dos bairros mais antigos da cidade, com casinhas brancas pintadas de cal (como as casinhas gregas), o mirante de San Nicolau, com uma das vistas mais bonitas da cidade e as Cuevas que são restaurantes + shows de Flamenco ideias para serem visitados no fim da tarde início da noite. Uma das mais famosas é a Cueva Canastera que custa 22 Euros (Espetáculo + Consumação) e o show começa às 21:45. Para quem quiser visitar o bairro só à noite ele também buscam no hotel e (Transporte + Consumação + Show) sai por volta de 28 Euros. Reseva somente pelo e-mail (info@marialacanastera.com). Nós nao fomos, mas é bastante recomendado por lá.

De lá paramos na Alhambra já que os ingressos tem hora marcada. Falo mais sobre isso no próximo post.

Já no fim do día, pegamos novamente o ônibuzinho de turismo, que passa a cada 30 minutos na saída da Alhambra, e descemos novamente até a Plaza Nuova, que é o ponto de referência da cidade.

Fuja dos restaurantes pega-turista da praça e pegue a rua Elvira, à esquerda da praça, onde estão os melhores barzinhos, restaurantes e casas de chá da cidade e depois à esquerda na rua Almireceros. Vá direto ao melhor bar de Granada o Bodegas Castañedas e me agradeça depois! Mas não se confunda porque o bar é tão famosos que dois outros bares abriram com o mesmo nome do lado! O verdadeiro Castañedas fica na Calle Almireceros 1-3.

É o típico bar de tapas Espanhol, eu adoro os bares/ pubs da Europa em que você vê desde o avô até o neto, lotado!

Para os pratos você pode sentar nas poucas mesas da casa, para tapas e vinhos/ cerveja é no balcão ou encostado nos barris de vinho.

Na Espanha a maioria dos bares tem poucas cadeiras porque os espanhóis entram, tomam uma taça de vinho, comem uma tapa e vão embora ou vão para outro bar.

Aqui você vai comer as melhores azeitonas da sua vida. Aliás a Espanha tem as melhores azeitonas marinadas em um tempero especial que só existe lá! E tem mais: Granada é a cidade das tapas. Você não precisa comprar nada para comer, basta pedir uma bebida e pronto, tapas, outra bebida, outra tapa.

E no Castañedas as tapas são enormes e maravilhosas e o vinho da casa ótimo. A cada taça recebíamos: azeitonas, embutidos, paella sevillana (de frutos do mar), paella com macarrão (muito comum por lá, usam o macarrão ao invés do arroz – muito gostosa), linguiças diversas (tipo salame) e outros. Fomos lá três vezes de tão bom – comida e ambiente se completam!

No dia seguinte, para passar o tempo até o horário do nosso vôo de volta à Barcelona, fomos em outro muito bom, mas com ambiente mais moderninho, o Restaurante Carmela onde as tapas também eram maravilhosas: carne assada, batata recheada com cream cheese e bacon, frango empanado com molho picante – e, tudo de graça!

Basta pedir uma taça de vinho ou cerveja! Além disso, o restaurante tem mesinhas fora e fica em uma pracinha super tranquila e acolhedora. Vale muito a pena!

Espanha · Europa · Granada

La Alhambra: Como comprar ingressos e o que visitar

A Alhambra é o “monumento” mais visitado da Europa. Eu sempre achei que fosse a Torre Eiffel ou o Big Ben, mas nao, aquele conjunto de palácios, jardins e fortaleza que formam uma verdadeira cidadela, dentro de outra cidade – a Alhambra fica dentro da cidade de Granada, no sul da Espanha – realmente rouba o coraçao das pessoas.

Essa cidadela era a residência oficial do rei e da corte do Reino de Nazari em Granada por volta do ano de 1238, embora já existisse desde o Império Romano. Nazari foi a última dinastia muçulmana a instalar-se no sul da Espanha e teve seu declínio na Guerra de Granada no século XII quando os reis católicos de Castilla o venceram e anexaram Granada à seu reino e passarm a viver ali. Está localizada mais especificamente na colina de Sabika, o ponto mais alto da cidade e está incrivelmente e totalmente integrada à natureza e ao seu entorno.

A visita à Alhambra é uma das primeiras coisas que devem ser planejadas quando decidir ir à Granada. Os ingressos esgotam muito rápido e o ideal é comprá-los com 3 meses de antecedência diretamente no site.

-Como comprar o ingresso online:

O bilhete geral (que engloba todos os jardins e palácios) cham-se Alhambra General e pode ser comprado aqui. Há várias opçoes de outros bilhetes no site se você quer visitar somente um ou outro palácio/ jardim específico ou fazer a visita à noite. Selecione Alhambra General e clique em Comprar entradas. Muita atençao, essa é a entrada que você precisa comprar se quiser ver tudo por lá, que inclua Generalife, Alcazaba, y Palacios Nazaríes.

Se você optar pelo ingresso que inclui o trem turístcio e transporte na cidade, nao esqueça de incluir depois os Palácios:

Se escolher com tour guiado dentro da Alhambra, sai um pouco mais caro, mas os Palácios já estao incluídos.

 

Selecione a data, o horário que você deseja visitar o parque e para o “Granada City Card” nao esqueça de incluir os Palacios Nazaríes:

Para o ingresso com tour, escolha o idioma da sua preferencia.

 

Agora selecione a quantidade de ingressos que você deseja e pague.

 

Note que o ticket te dá acesso a visitar o parque de manha (entre 8:30 e 14:00) ou de tarde (entre 14:00 e 20:00 horas). Dentro do período escolhido, virá impresso no seu ticket o horário que você poderá visitar os Palácios Nazaríes. Isso memso, eles têm hora marcada. Se você comprar o ticket com o tour guiado, clique no horário desejado da visita dos Palácios.

No nosso caso, quando compramos, só havia o horário das 16:00 disponível.  Chegamos no parque por volta das 14:00, porque escolhemos a visita da tarde e passeamos por lá até o horário de visitar os palácios. Tenha em conta que a distância da porta de entrada até o Palácio é de cerca de 15 minutos, entao preste sempre atençao em que ponto do parque está e sua distancia em relacçao aos Palácios para nao perder a vez de entrar.

Os palácios sao o ponto alto da visita e o ideal é terminar a visita por lá. Para nós, começar a visita às 14:00 foi suficiente para conhecer todo o parque, seguindo o roteiro do mapinha que eles entregam na entrada, tirar fotos e até fazer uma pausa no bar do Hotel America Granada .

-Como chegar:

Para chegar até lá pegamos o transporte circular da cidade que passa pelos principais pontos turísticos da cidade e vale por dois dias. Partimos da Plaza Nuova onde compramos a passagem e descemos na porta da Alhambra.

Trocamos o voucher, comprado pela Internet, na bilheteria que fica ao lado do portão de entrada. No início da visita retiramos o mapa do Parque que mostra todo o trajeto a ser percorrido e também conta a história dos sítios.

-O que visitar:

A visita começa pelo Jardins de Generalife (baixo e alto) seguida, Palácio de Generalife.

Generalife é palácio de verão dos emires. Trata-se de uma vila entremeada por jardins, pátios, fontes e construções arquitetônicas incrível. Dá pra ver pela foto acima que ele fica “fora” da cidadela murada, mas ao mesmo tempo conecatada à ela. A variedade de flores e cores do jardim é deslumbrante e prepare-se para tirar milhares de fotos.

Seguimos para o Palácio de Carlos V, que foi erguido pelo Rei da Espanha, depois de uma visita ao complexo de Granada, em estilo romano com um grande pátio cercado de colunas. Ele destoa completamente do estilo dos outros palácios.

Descemos então até a Fortaleza de Alcazaba que é a parte mais antiga da Alhambra com vista para a cidade antiga e a Sierra Nevada.

Como ainda faltava tempo para a entrada nos Palácios Nasrid fomos até o bar do Hotel America Granada tomar um ‘tinto de verano’ e provar a famosa pastilla árabe, uma massa folhada finíssima recheada com frango, maçãs, canela e amêndoas – uma delícia!!

Em seguida chegou nosso horário para a visita. Pegamos uma pequena fila e entramos nos Palácios Nasrid, a residência dos reis de Granada, construídos no século XIII. Três palácios formam o complexo: Mexuar, Comares ou Palácio Yusuf I e Palácio de los Leones. Os pátios, jardins, paredes e adornos refletem aspectos da cultura Persa e Muçulmana. Lagos e jardins contornam os castelos assim como as fontes de mármore.

O Palácio de Comares ou Palácio Yusuf I é o palácio principal do complexo onde ficava a sala do trono e residência oficial do Sultao.

O Maxuar era a sala de justiça e de audiências. Tinha um quarto escondido onde o Sultao escutava sem ser visto. Um destaque desse palácio é o pátio de arraynes.

Com a contruçao do Palácio de los Leones, feita por Mohamed V quando sucedeu seu pai Yusef I, o complexo atingiu seu apogeu de beleza.

Sem sombra de dúvida, uma visita Alhambra é o ponto forte de uma viagem ao sul da Espanha e te faz realmente sentir-se uma pessoa privilegiada por ter a oportunidade de vivenciar aquilo tudo e “viver” a história de milhares de anos atrás.