Américas · Canadá · Mont Tremblant

Mont Tremblant | Deslizando de trenó no Canadá

Como já contei aqui, Mont Tremblant é uma cidadezinha super fofa que fica no Quebec, quase caminho entre Montreal e Quebec City. Ela fica a duas horas ao norte de Montreal e nós chegamos lá de ônibus. O ideal é ir de carro, mas descobrimos na locadora que nao podíamos alugar carro sem a permissao internacional, como nos EUA nunca nos pediram, nao pesquisamos e nossa única opçao foi o ônibus. Mas que ônibus, todo automático e com calefaçao, o passeio é bem tranquilo, mas para conseguir curtir o resort você precisa passar lá pelo menos uma noite porque o horário de volta do ônibus no mesmo dia é cedo e nao te dará tempo de conhecer tudo.

Mont Tremblant é bem charmosa principalmente porque tem muita influencia francesa e as casinhas seguem um estilo mais europeu. Mas nao foi a arquitetura que mais nos marcou na cidade, mas sim, o passeio de trenó com os cachorros pelos bosques nevados. Pesquisei muito antes de fechar no próprio site do Mont Tremblant Activity Center, que é onde acontece a atividade, e li vários relatos que descreviam a atividade como sensacional, indescritível… tantas críticas positivas que resolvemos arriscar e foi muito legal!

O pessoal do resort te busca na porta do hotel e logo que você chega no local já fica impressionado – um bosque gigante branquinho e cheio de pinheiros/ árvores, cena do filme da Branca de Neve e o Caçador, sabe? Só por aí já vale o passeio, mas tem mais…

Preparação

O instrutor nos levou no canil, cheio de huskies siberianos de todas as cores e idades, um mais lindo que o outro. Também há alguns vira latas no meio porque são muito fortes e ajudam a puxar o trenó. Muitos desses cães estavam abandonados e foram resgatados e tratados.

Depois disso o instrutor dá uma pequena aula de ‘pilotagem do trenó’ – uma pessoa vai sentada (passageiro) no trenó e a outra vai atrás de pé (piloto). Na hora parece que vai ser difícil e dá um frio na barriga, mas depois que começa é bem fácil.

O passeio

O passeio dura duas horas e quinze minutos: uma hora de ida passeando pelo bosque nevado, quinze minutos de descanso em uma cabana aquecida onde tomamos chocolate quente e comemos biscoitos de maple e mais uma hora de volta.

Passear pelo bosque é uma delícia e quem está de passageiro consegue tirar fotos e fazer filmes. O tempo passa voando, uma hora de passeio dá a sensação de 15 minutos.

Na metade do caminho há uma parada para você se secar um pouco e se aquecer perto de um fogareiro.

No final você pode comprar o CD com todas as suas fotos que eles vão tirando durante o passeio, porque você mesmo não consegue tirar do próprio trenó, mas só do traseiro dos cachorros J.

 

Como se vestir

Não bobeie! Você precisa estar vestido para o frio. No dia estava -26ºC e quando o trenó começou a andar ficou mais frio ainda. Leia o post que escrevi sobre como se vestir no inverno.

O mais importante – quem vai pilotar fica com as mão e pés mais expostos ao vento então use luva de fleece + luva impermeável potente (essa você vai ter que compra lá – geralmente elas nem dedos tem) + hand warmers dentro de cada uma das luvas. Nos pés meia + meia térmica + bota impermeável + foot warmer. Antes de ir comprei uma caixa desses ‘warmers’ na Amazon e usamos tudo.

Eu que estava de passageira usei tudo isso nos pés porque apesar do cobertor que eles dão, a sola dos pés recebe toda a friaca do vento.

Américas · Canadá · Mont Tremblant

Mont Tremblant | A Aspen Canadense

Enquanto as Americanos vão à Aspen e Vail, os Canadenses não ficam atrás e vão para Mont Tremblant que é o resort de esqui mais famoso da Costa Leste Canadense. De origem francesa, fica na província de Quebeque e funciona todos os dias do ano, seja con atividade de inverno ou verao como trekkings e outros.

  • Transporte

O Resort fica a 135 km de Montreal (onde fica o aeroporto mais próximo) e é possível chegar via avião, carro ou ônibus. Na minha opinião o melhor custo/ benefício é o carro alugado, mas no Canadá é preciso ter a PID (Permissão Internacional de Dirigir) e nós não tínhamos! E o engraçado é que pesquisei muito e em nenhum lugar havia encontrado essa informação! Só lá!

Plano frustado, já sabia que conseguríamos ir para lá de ônibus da Galland que é a única empresa que faz o trajeto. Deixamos as malas no nosso hotel em Montreal e levamos somente uma mala de mão para não ter que ficar carregando peso na viagem. O pessoal do hotel foi muito atencioso e topou guardar para a gente na recepção (onde depois soubemos que nessa mesma noite um cano d’água estourou por causa do frio intenso que o congelou – e quando voltamos a recepção estava semi alagada, mas nossas malas intactas – SORTE)!

Fomos direto para a rodoviárias que fica no mesmo ‘predio’ que a estação de trens e principal de metrô.

Compramos as passagens na hora e em 30 minutos já estávamos no ônibus em direção à Mont Tremblant. O caminho é lindo, com os slopes cobertos de neve, as casinhas – que parecem de brinquedo – com os telhados e a entrada branquinhos (como nos filmes!).

A última parada é em um posto de gasolina – onde claro há um Tim Hortons – que é uma rede de lojas de café canadense que tem em cada canto, bem no estilo Starbucks de ser, e com Wifi (a gente agradece!). Entramos e descobrimos que lá mesmo eles chamam taxistas para levar os turistas à cidade propriamnete dita – a Ville de Mont Tremblant. Levamos 5 minutos dali e de cara já nos encantamos com o hotel.

 

  • Hospedagem

Ficamos no Auberge Le Voyageur que é gerenciado pessoalmente pelo casal de donos que cuidam de todos os detalhes como tirar os sapatos de neve na porta e colocar um crocs (que ficam todos em cestas ao lado da porta e oferecido pelo hotel).

Uma lareira quentinha, comida deliciosa, café da manhã incrível e quartos enormes com lençóis 1000 fios e por um precinho bem camarada!

Resolvemos ficar na Ville e não dentro do Resort já que não íamos esquiar, mas há vários hoteis quatro e cinco estrelas dentro do Resort a poucos passos das pistas. Dentro do Resort também há vários restaurantes, lojas de grife, de equipamentos, bares de Après ski e outros.

  • Restaurantes

Por um lado o resort tem todo seu apelo turístico enquanto a Ville é bem ‘local’ com as casinhas de bonecas e uma rua principal ( a St. Jovite) só de restaurantes (excelentes) e lojinhas.

Na nossa primeira noite fizemos amizade com um japonês que morava em Toronto e estava esquiando com o filho e além de nos dar várias dicas da cidade ainda nos deu carona para a cidade. Fomos no Le Grill, super bem recomendado e excelente! Carne, peixe e vinho impecáveis.

No resort de Tremblant fomos na Creperie Catherine com os melhores crepes que já comi e tomamos Gluwein (uma espécie de vinho quente alemão) que eu adoro!

  • Après Ski

Os melhores bares para Après Ski ficam dentro do Resort, mas os preços são mais altos e são todos muiot lotados. Fomos no La Forge, bem em frente as pistas, e foi gostoso.

Uma dica imperdível para um lanche no fim da tarde ou depois do esqui são os Beavertails (ou cauda de castor) típicos da região, no Queues del Castor. Eles são feitos com uma massa de farinha de trigo escaldada com maple syrup e moldada em forma de rabo de castor e coberta com vários recheios doces como Nutella com banana, MM’s, maçã e canela… uma delícia!

Para quem gosta de fondue (não esqueça que lá a colonização foi francesa) o restaurante mais recomendado é o La Savoie. O fondue completo, que inclui até camarão e lagosta sai US$40 por pessoa!

Américas · Canadá · Mont Tremblant · Niagara Falls · Quebec · Toronto

Canadá | Dicas de Visto, Roteiro, Acomodação e Transporte

Nosso roteiro pelo Canadá depois de muitas pesquisas ficou assim:

1º dia: SP/ NY

2º dia: NY

3º dia: NY

4º dia: NY

5º dia: NY/ Toronto

6º dia: Niagara Falls

7º dia: Toronto

8º dia Toronto/ Montreal

9º dia: Montreal

10º dia: Montreal/ Mont Tremblant

11º dia: Mont Tremblant/ Quebec

12º dia: Quebec

13º dia: Quebec/ SP

 

Já tínhamos ido para NY no ano passado, mas os maridos (fomos com um casal de amigos) queriam muito voltar à cidade então tivemos que ‘espremer’ o roteiro no Canadá para encaixar a cidade.

Mas fica a dica que agora para quem tem visto para os EUA pode tirar um visto online simplificado para a Canadá, o eTA (eletronic travel authorization) que reduz muito a burocracia, quem já tirou visto do Canadá em papel sabe, veja o post aqui, e é muito mais barato, cerca de US$7!

 

  • Visto

O Canadá, apesar de ser um país aberto para a imigraçao, tem umas regras bem restritas para isso, e é bem exigente no quesito ‘seleçao de estrangeiros’ que pisam no seu solo. Encontramos regras bem duras na imigração, minha amiga inclusive, quando chegamos lá, foi escolhida para visitar a salinha e lhe fizeram muitas perguntas. O visto é trabalhoso, mas ao mesmo tempo fácil e rápido. Basta preencher os formulários solicitados, pagar a taxa e entregar tudo no Consulado.

Escrevi sobre como tirar o visto canadense neste post aqui. Ou se você já tiver tido um visto do Canadá nos últimos 10 anos ou tiver um visto para os EUA pode aplicar para uma autorizaçao online (eTA).

 

  • Acomodação

Assim que fechamos as passagens corri pro Booking.com e Tripadvisor para dar uma olhada nas opções de hotéis. Para isso entro no Google Maps, coloco o endereço do hotel, veja a distância do metrô e dos principais pontos turísticos e faço a escolha que tenha o melhor custo/ beneficio/ localizaçao.

Alberge le Voyagieur en Mont Tremblant

Achei os hotéis no Canadá muito baratos e conseguimos lugares excelentes por um execelente valor. Em NY, claro, os preços sao sempre mais altos. Nossa seleção foi:

Nova YorK: Hotel St. James (em plena Times Square)

Toronto: The Clarence Park

Montreal: Hotel Stay Centre Ville

Mont Tremblant: Auberge le Voyagieur (Fantástico! – com lençóis 1000 fios)

Quebec: Hotel Chateau Bellevue

Máquina de vinhos no Hotel Chateau Bellevue en Quebec

 

  • Transporte

1. Metrô e Táxi

O metrô do Canadá é muito bem servido e em Toronto e Montreal fomos para todos os lugares com ele. O único inconveniente é que, quando fomos nao havia metrô no Aeroporto de Toronto, entao tivemos que pegar um táxi para o hotel fomos de táxi, mas como estávamos em quatro pagamos uma taxa de excesso de bagagem, pois havia 4 malas e os táxis só aceitam 3.

Em Quebec não há metrô, mas a cidade é bem compacta (principalmente se você se hospedar dentro da muralha) e dá para explorar tudo a pé. Só usamos táxi para ir da cidade ao aeroporto no último dia da viagem.

 

2. Trens

Entre as prinicpais cidades usamos trens para ir e vir e foi uma ótima melhor escolha. Uma dica é que as passagens de trem ficam mais baratas a medida que a data da viagem se aproxima que é quando surgem as promoções da Web. Comprei direto do site canadense Rail Canada e comecei a pesquisa com 6 meses de antecedência quando os preços estavam altíssimos. Fui esperando uma promoção e um mês antes consegui comprar os trechos Toronto-Montreal, Montreal-Quebec por U$28 cada!

 

3. Carro Alugado

Esta é uma dica super importante! Para dirigir no Canadá é preciso ter a Carteira Internacional de Habilitação (PID- Permissão Internacional de dirigir) porque eles alegam que o policial na estrada não vai conseguir entender o seu documento. E não teve jeito, queríamos alugar um carro para ir e voltar de Mont Tremblant e não conseguimos. Tivemos que ir de ônibus e voltar de táxi. Para tirar a carteira basta entrar no site do Detran e fazer a solicitação. Ela vencerá na mesma data que sua carteira de motorista então é melhor esperar e tirar quando for renovar, pois o preço é bem salgadinho. Essa permissao é na verdade uma “traduçao oficial” da sua atual carteira de motorista, ou seja, se você nao tiver uma carteira de habilitaçao brasileira, você nao poderá solicitar a internacional.

 

4. Ônibus

Usamos ônibus de Montreal a Mont Tremblant depois da nossa tentativa frustrada de alugar um carro. O valor não é muito barato (cerca de US$60 o trecho), mas o ônibus é excelente e com calefação. A única empresa que faz o trajeto é a Galland, comprei os bilhetes diretamente na Rodoviária de Montreal.

O ônibus era tão confortável que nem vimos o tempo passar e dormimos a maior parte do tempo, mas demora um pouco mais porque ele vai pingando em várias cidadezinhas pelo caminho, mas achei bem legal a paisagem e conhecer essas outras cidades. Recomendo para quem nao conseguir tirar a PID a tempo.

Só preste atenção porque os horários da ida são mais flexíveis, mas os volta são fixos e somente um de manhã cedo e outro no final da tarde (quando o pessoal termina de esquiar). Por isso pegamos uma táxi (o que estourou nosso orçamento), mas caso contrário pederíamos nosso trem noturno. O trajeto de táxi levou 1h30; de ônibus uma 3 horas. São 135 km.

A melhor opção custo/ benefício é sem sombra de dúvida o carro alugado!

 

 

Américas · Canadá · Mont Tremblant · Montreal · Niagara Falls · Quebec · Toronto

Como tirar visto de turismo para o Canadá

Tirar o visto para o Canadá é fácil, mas ao mesmo tempo trabalhoso. O site até é bem explicativo, mas não diz exatamente todos os formulários que devem ser preenchidos.

O Consulado fica no Centro Empresarial Nações Unidas – Torre Norte e aproveitando um dia em que estava fazendo treinamento do mesmo edifício fui lá buscar informações e o atendente me disse para procurar no site (!?).

Tudo bem, voltei ao site, quebrei a cabeça, conversei com alguns colegas do trabalho que já tinham tirado o visto, aliás aqui no meu trabalho ir ao Canadá está uma febre.

Não sei se quando estamos planejando ir a um certo lugar começamos a prestar mais atenção nele, mas toda vez que escolho um lugar para visitar, ele rapidamente entra em evidência, ou será que eu começo a prestar mais atenção à ele?

Bom, voltando ao que interessa, abaixo segue passo a passo e a lista de documentos necessários:

  • Application for Temporary Visa;
  • Family Information;
  • Questionário Informações Adicionais;
  • Termo de Consentimento e uso para residents no Brasil para serviços da VFS Global Services Brazil;
  • Use of Representative (se você não for entregar os documentos pessoalmente);
  • Passaporte válido;
  • Foto 30mm x 50mm;
  • Prova de recursos financeiros. Exemplo: último imposto de renda com o recibo de entrega, os três últimos holerites, contrato social, e extratos bancários;
    Cópia da passagem aérea.

Todos os documentos podem ser baixados do site do Consulado. Os documento 4 e 5 tive que caçar pelo site e podem ser baixados aqui. Nao esqueça de baixar o guia do Consulado aqui que explica direitonho tudo o que você deve fazer.

O documento 1 (Application for Temporary Visa) é o único que precisa ser preenchido no computador. O PDF permite edição e assim que você salvar o arquivo ele vai gerar um código de barras no próprio documento.

É nesse formulário que você vai escolher o visto de entrada única ou de múltipla. O de entrada única permite que você entre no país uma única vez. A exceção é que se voce vai viajar para os EUA voce pode usar esse visto para entrar e sair várias vezes do Canadá durante a validade do mesmo. Se vier de outro país que não seja os EUA, aí você vai precisar do visto de múltiplas entradas.

Com tudo isso reunido basta pagar a taxa no Banco e entregar no Consulado (isso significa pagar no VAC – Visa Application Center, uma das opçoes disponíveis) de segunda à quinta-feira, das 09:30 as 11:00 horas da manhã. O valor varia se você se dicidir por visto de entrada única ou múltipla. Hoje já dá para aplicar online, veja aqui.

Lá também é preciso pagar mais uma taxa de R$65,00 e só aceitam cartão.

Em alguns dias, o consulado envia um link para acompanhamento online da solicitação. Mais informações devem ser consultadas no site do Consulado.

 

Agora a partir de 31 de julho de 2018 os brasileiros que já tiveram um visto do Canadá nos últimos 10 anos ou tem um visto de nao imigrante dos EUA podem fazer todos o proceso online (eTA – electronic travel authorization) que é muito mais simples e custa somente 7 Euros!

 

Consulado do Canadá em Sao Paulo

Av. das Nações Unidas, 12.901, 16º andar – Brooklin
Centro Empresarial Nações Unidas – Torre Norte
São Paulo – SP – Brasil
Tel.: +55 (11) 5509.4343
Fax.: +55 (11) 5509.4262
E-mails: saopaulo-im-enquiry@international.gc.ca