Américas · Punta del Este · Uruguai

A fantástica experiência no hotel Las Cumbres em Punta del Este

Punta del Este nunca foi um lugar que eu quisesse conhecer muito, tanto que da primeira vez que fomos ao Uruguai, tivemos a oportunidade de fazer um bate e volta, mas dispensamos e preferimos curtir a praia em Montevideo e depois comer churrasco no Mercado do Porto.

A ideia de cidade lotada, cheia de gente sou fashion-rico-famoso-emergente e cassino brega nunca me atraíram – ideia criada em mim pelo Amaury Jr kkkk. No entanto, pesquisando por passagens encontrei uma super promoção para Montevideo. Verifiquei os hotéis e até os mais luxuosos estavam com preços super atrativos, em pleno feriado de Corpus Christie, por conta da baixa temporada, então foi a desculpa exata para visitar a cidade.

Como era baixa temporada e não pegaríamos praia, no sentido literal do termo, decidi que a escolha do hotel seria o ponto principal da viagem, já que aproveitaríamos esses dias para descansar e comer super bem.

Comecei a pesquisar e fiquei na dúvida entre os quatro hotéis mais indicado por lá (não considerei o Conrad porque além de não gostar do climinha de cassino achei os quartos bem normaizinhos e queria uma experiência especial. As escolhas foram: Il Belvedere, L’Auberge, Las Cumbres e La Serena.

O La Serena é um dos queridinhos da cidade e é lindo. Um hotel de adultos super charmoso, mas, na minha opinião, bem voltado para a alta temporada, porque o foco são nas tendas que formam uma espécie de Beach-Club-SanTropez com um dos pores do sol mais bonitos da cidade (é do mesmo lado da península onde fica a famosa Casapueblo) em frente ao Rio da Prata e da Playa Mansa. Como íamos no Outono, não desfrutaríamos dessa estrutura e os quartos não me pareceram charmosos o suficiente.

O Las Cumbres é um dos preferidos, segundo Riq Freire ele poderia morar no Las Cumbres. Realmente muito charmoso, com chá da tarde ótimo e uma vista incrível da Praia Mansa e do pôr do sol (do mesmo lado que a Casapueblo e La Serena).

O L’Auberge fica do outro lado da Península de frente para o mar, na Praia Brava, e meio que de cara me conquistou. Um estilo bem de vilinha de chalés de inverno, sabe? Os quartos super fofos e com café da tarde com o wafer com doce de leite mais famoso da cidade.

Já o Il Belvedere tem uma estilo bem diferente. São chalés super equipados, enormes mega fofos e confortáveis com quarto, sala e cozinha, além de um super café da manhã e chá da tarde de Abril a Setembro, vista para o mar e por do sol. Fique bem balançada porque adoramos visitar os mercados das cidades e sempre compramos queijos e vinhos para o final da noite e a cozinha seria ideal com taças, saca rolhas e maior privacidade para curtir o fim de tarde da nossa varanda.

Pensa, que pensa e que pensa e acabamos nos decidindo pelo Las Cumbres. Pesquisamos mais a fundo e descobrimos que o Las Cumbres também é formado por vários chalezinhos com uma vista incrível da natureza, com quartos mega charmosos com banheira e varanda e além de um restaurante super estrelado e com um plano ótimo de meia pensão que inclui café da manhã e jantar completo.

Foi uma escolha acertadíssima, o hotel é 5 estrelas, mas bem no estilo rústico sem toda aquela pompa o que o resume a uma super casa de campo confortabilíssima, com quartos enormes, pessoal super atencioso, piscina, jacuzzi e sauna além de um mini spa com massagens para os hóspedes (o spa é pago a parte).

A comida é deliciosa, tanto o jantar como o café da manhã, mas as bebidas são super caras, uma água pequena custa U$6 e uma latinha de cerveja US$9.

Mas na Interbalneária, em frente à Ruta 12, onde fica o hotel tem dois supermercados excelentes, nós fomos ao El Dorado e compramos vinhos ótimos, cerveja, alfajores e o famoso sorvete Cornaproli de doce de leite e colocamos tudo no frigobar do carro.

Vindo de Montevideo pela Interbalneária, quando avistar uma rotatória e o condomínio Solana, vire à esquerda. Esta é a Ruta 12 que leva ao Las Cumbres. Há um posto de gasolina bem na esquina. Se fosse alta temporada ficaria no La Serena ou para quem gosta no Conrad que tem um beach club “Ovo” bem em frente.

Hotel Las Cumbres

Ruta Nacional Nº 12 Km. 3.5, , Punta Ballena, Uruguai

Américas · Punta del Este · Uruguai

Punta del Este | A fantástica Casapueblo de Carlos Vilaró e mais…

Seguimos para Punta del Este direto do Aeroporto Carrasco que fica em uma pequena cidade chamada Canelones a 20 km de Montevideu e 120 km de Punta del Este. Para ir à Montevideu, saia do Aeroporto, vire à direita e siga sentido Rambla. Para Punta vire à esquerda e siga as placas sentido Este. Você cairá na Ruta Interbalneária que irá até lá.

– Piriápolis

É possível fazer um desvio a uns 30 km de Punta e conhecer Piriápolis, um balneário muito freqüentado pelas famílias uruguaias. Em Piriápolis está o imponente Hotel Cassino – o Argentino Hotel – que data do princípio do século XX e o Cerro Stº Antonio, ao qual se chega via teleférico.

-Punta Ballena

*Vinícula Alto de la Ballena

Continuando no sentido Punta del Este, ainda distante a 15 km do centro, a próxima parada é Punta Ballena, próximo à serra da Baleia. Ainda na Interbalneária, na rotatória do Condomínio Solana, à esquerda fica a Ruta 12 que leva à Vinícula Alto de la Ballena. Veja como foi nosso dia por lá.

*Fazenda Lapataia

Pela mesma Ruta 12, pega-se o caminho que vai para a Fazenda Lapataia em cerca de 4 km. Lapataya é a marca de doce de leite mais famosa do país e na fazenda é possível ver como é feita a fabricação e comprar os produtos in loco. Ela estava fechada no período que fomos.

Casapueblo

Ainda em Punta Ballena fica a famosa Casapueblo, a casa-museu de Carlos Villaró. A Casapueblo fica em uma península com uma vista linda de Punta del Este e da própria fachada da casa-museu.

No centro acontece uma feirinha de artesanatos, ótima para comprar lembrancinhas da cidade. Há muitos moradores e pescadores por alí, em especial nos finais de semana.

Ela era a casa e atelier de Carlos Villaró que faleceu em 2014. É o artista plástico uruguaio mais conhecido e premiado no mundo inteiro. Ele começou suas pinturas na Argentina ilustrando a vida porteña e cenas do tango e colecionou amigos e viagens por todo o mundo como a África e Europa.

Dentre seus amigos estão Jorge Amado e Vinícius de Moraes que compôs a música “Era uma casa muito engraçada” em uma das visitas ao atelier. A casa é enorme e composta por um hotel e museu. O museu fica na parte superior da casa, dividido em três andares, com uma lanchonete e três terraços com uma vista maravilhosa do mar e da casa.

A construção foi feita pelo próprio artista com a ajuda de pescadores locais e durou 30 anos. O acabamento em cimento e cal é bem peculiar do pintor e se reflete em muitas de suas esculturas.

O pôr-do-sol no Casapueblo é considerado um dos mais bonitos de Punta. Assití-lo já se tornou uma atividade obrigatória em Punta del Este.

– As mansões dos milionários de Punta

Os bairros residenciais são Beverly Hills, San Rafael, Cantegril e Golf, mas se quiser ver as masões milionárias vá direto para Beverly Hills.

– Península (centrinho de Punta)

Seguindo mais 15 km chega-se à Península, que é centrinho de Punta, marcado pela Avenida Gorlero, principal da cidade onde ficam várias lojas de grife, cinema, supermercados e restaurantes. Todas as outras ruas cortam a Gorlero e são numeradas de 31 a 1.

Duas quadras para um lado está o Farol de Punta e a orla da Praia Brava (mar) e duas quadras para o outro lado está a orla da Praia Mansa (Rio da Prata).

O Boulevard Artigas é o calçadão que circunda toda a península e tem vários barzinhos e restaurantes pé na areia, principalmente perto do Porto. Não deixe de experimentar o clericó, a bebida típica de Punta feita com suco de laranja, frutas picadas, água com gás e vinho branco, no Uruguai use/ peça o vinho Chardonnay Coastal. Deliciosa!

Aproveitamos o dia lindo e paramos no El Tonel para um programa típico de Punta: clericó + frutos do mar + pôr do sol estonteante. Do porto também saem passeios para ilhas ali próximas, como a Isla de los Lobos onde ficam os leões marinhos.

– Praia Mansa

A Praia Mansa é a sequência de Punta Ballena e começa na parada 13. É mansa porque é uma praia de rio, o Rio da Prata. O ponto mais famoso da Praia é o Hotel e Cassino Conrad, em frente à ilha Gorriti.

Além de uma das boates mais famosas da cidade, a Ovo, tem cassino, cinco restaurantes e bares que podem ser frequentados por não hóspedes, além de seu próprio beach club na beira da praia, uma extensão da “Ovo” bem no estilo Sul da França de ser.

 

– Praia Brava

O cartão-postal de Punta del Este é a obra do escultor chileno Mario Irarrazabal: La Mano.

São dedos saindo da areia, cujo significado seria a “presença do homem surgindo na natureza” apesar de todos acharem que parece um homem se afogando.

– La Barra

Seguindo pela orla da Praia Brava chega-se a a La Barra e depois José Ignacio. A ponte para La Barra é uma atração. Dá impressão que se este em uma montanha russa.

Há cerca de 15 km do centro de Punta, La Barra é uma antiga vila de pescadores e é o point da cidade, com as praias mais famosas, dentre elas a Playa Bikini com boas ondas para surfe e os diversos bares na orla. Um dos restaurante mais falados de Punta ficam por ali: o Parador La Huella info@paradorlahuella.com e o Fish Market que estavam fechados na época em que fomos.

Outra atração imperdível, super bem avaliado por todos os blogs e pelo TripAdvisor, mas que estava fechado na época em que fomos, é a Lo de Miguel, o restaurante da Finca Narbona, uma vinícula super conhecida no Uruguai que fica na cidade de Carmelo. É imprescindível fazer reservas: puntadeleste@narbona.com.uy

Alguns restaurantes só funcionam na altíssima temporada – Novembro a Fevereiro – então ligue antes ou faça reserva por e-mail.

– José Ignácio

Seguindo por mais 15 km chega-se a José Ignácio. Menor que a Barra, essa praia tem um estilo mais rústico com casa grandes, mas simples voltadas para o mar.

Em menos de 5 minutos a paisagem muda para campo, com grandes fazendas de gado e de emas.