Américas · Peru · Puno (Lago Titicaca)

Peru | As Ilhas Flutuantes de Uros no Lago Titicaca

Saímos de Cusco para Puno em um ônibus noturno cujo bilhete compramos na agência do nosso hotel, o Pirwa Posada del Corregidor, por (S. 55) junto com o passeio para a Ilha de Uros (US$28) no Lago Titicaca. São quase 400 km de viagem que somam 6 horas no total.

Chegamos em Puno por volta as 4 da manhã e advinhem quem encontramos na rodoviária?? O Zeca Camargo! Tirei uma foto com meu celular que ficou péssima, mas deu pro gasto! Havia uma pessoa nos esperando na rodoviária que nos levou para o Pirwa de Puno, já que ainda era muito cedo para fazer o passeio à Uros. O dono do hostal foi super atencioso e nos cobrou US$10 para tomar banho e dormir algumas horas no quarto e mais café da manhã.  Às 9 a van da agência veio nos buscar e nos levou para as margens do Titicaca onde pegamos uma lancha até as Ilhas.

Elas são ilhas flutuantes feitas de Totora, um tipo de junco, e ancoradas a meia hora de Puno. Elas foram construídas pelos moradores da cidade que não tinham terras para morar.

Cada ilha abriga uma família e hoje são cerca de 70 famílias e 1800 pessoas que usam a Totora também nas construção das casas, no artesanato e na alimentação.

Eles vivem da pesca e do artesanato e as mulheres tem uma importante participação nessas atividades. São elas que remam os grandes barcos de totora enquanto os maridos jogam a rede para pescar.

Depois do trabalho elas fazem a comida e durante à noite enquanto todos assistem televisão (Isso mesmo! Eles tem televisão e antena parabólica que foi doada pelo Fujimore), elas fazem o artesanato que é vendido para os turistas.

Há um sorteio das ilhas que vão ser visitadas no dia, ou seja, uma espécie de rodízio para que todas possam vender seus artesanatos. Na ilha que visitamos eles nos explicaram como as ilhas são construídas, cozinharam bolinhos típicos de mandioca e no final nos convidaram para visitar as casas por dentro.

Demos sorte e fomos visitar a casa do presidente que é onde fica a antena parabólica doada pelo Fujimore. As casas são bem simples com apenas um quarto e a cozinha é coletiva para todos.

No final, para ajudá-los, fizemos um passeio nos barcos de Totora remado pelas mulheres e compramos um em miniatura de lembrança. Do porto pegamos um táxi (S.10) até a rodoviária e pegamos o ônibus para Copacabana, na Bolívia. São cerca de 300km então chegamos lá na cidade no final da tarde. Veja aqui.

Américas · Lima · Peru

Peru | Visitando a Huaca Pucllana em Lima

São numerosos os sítios arqueológicos que podemos encontrar em Lima. Um dos mais famosos é o Huaca Pucllana em Miraflores.

Trata-se de uma enorme pirâmide formada por sete plataformas de adobe e argila em pleno centro de Lima que se desenvolveu entre 200 e 700 a.C.. Era um importante centro cerimonial e administrativo.

Chegamos lá de táxi, pois achamos muito barato. A corrida foi algo em torne de US$3, mas não esqueça de negociar o preço antes com o taxista, pois não há taxímetros.

Para visistar as ruínas é necessário pagar US$3,50 e esperar pela visita guiada (em Inglês ou Espabhol) que dura mais ou menos uma hora.

Enquanto espera o início da visita guiada, o ingresso dá direito a visitar o museu que expõe as peças que foram escavadas das ruínas.

Durante a visita é possível subir ao topo da pirâmide de onde se consegue ver boa parte da cidade.

Outra opção é fazer esse passeio à noite e finalizar com um jantar no famoso restaurante Huaca Pucllana  de comida fusion que fica dentro do sítio arqueológico. O lugar é bem avaliado e com uma decoração linda. Não deixe de provar o famoso ‘Coca Souer’ com pisco e folhas de coca.

Huaca Pucllana

Gral. Borgoño – Cuadra. 8 s/n, Miraflores (entre las cuadras 5 y 6 de la Av. Angamos Oeste)

Horário: Quartas às segundas, das 09:00 às 17:00 horasSão numerosos os sítios arqueológicos que podemos encontrar em Lima. Um dos mais famosos é o Huaca Pucllana em Miraflores.