Israel · Jerusalém · Oriente Médio

Israel | Como visitar o Mar Morto?

Separamos esse dia da viagem para ir ao Mar Morto, pois segundo a previsao do tempo, seria o dia com mais sol da semana que estaríamos em Israel. Apesar de ser inverno, as temperaturatura no Mar Morto, por estar a 448 metros abaixo do nível do mar sao bem amenas, e é bem possível dar um mergulho sem passar muito frio. Afinal quando você terá essa possibilidade de novo?

Olhamos as diversas opçoes de passeios que oferecia a agência do nosso hostal. A maioria dos passeios sai de Tel Aviv e Jerusalém. Todos os passeios que vimos eram conjugados com uma parada em Masada, a fortaleza do Rei Heródes, e um mergulho no Mar Morto no final. Alguns saem super cedo para subir a fortaleza a pé e admirar o pôr do sol de lá de cima. Algumas agências que chegamos a considerar foram: deseertecotours.com (com a qual fizemos o passeio a Petra) e a abrahamtours.com (que fica dentro do hostel de mesmo nome e é super conhecido por lá). O valor do passeio dá para consultar nesses links, mas fica em torno de U$100 por pessoa.

Nenhum dos passeios me convenceu o suficiente para pagar R$800 para que nós dois dessemos um mergulho no Mar Morto. Mas ao mesmo tempo, ir ao Mar Morto para mim era um MUST. Entao o rapaz da recepçao me disse que nao valia a pena fazer os passeios e que podíamos ir de ônibus de turismo até Masada e depois até a praia do Mar Morto e voltar no mesmo dia. E foi o que fizemos.

Compramos o bilhete na hora, no guichê da Estaçao Central de ônibus. Há dois ônibus que levam ao Mar Morto, o 444 e o 486, é só dizer o destino no guichê: Ein Gedi ou Ein Bokek. Dá para consultar os horários aqui.

A caminho do Mar Morto, um pouco antes da parada Ein Gedi, está a parada de Masada. Dá para descer tranquilamente, visitar a fortaleza e depois pegar o próximo ônibus até Ein Gedi ou Ein Bokek.

Ein Gedi é uma reserva natural no meio do Deserto de Judá. Há três paradas em Ein Gedi. A primeira é em frente ao Hostal Nahal David de onde sai uma trilha que vai até a praia. A segunda é a mas próxima da praia, que é pública e nao tem nenhuma estrutura. A terceira é no Spa, o Ein Gedi Spa. Quando fomos, as praias de Ein Gedi estavam fechadas. Havia lido alguns reviews do Spa, para ver se valia a pena, mas nao me empolguei. Decidimos entao comprar a passagem para Ein Bokek e nao nos arrependemos.

Ein Bokek é a praia onde estao os hoteis. Chegar em Ein Bokek é como chegar a um oásis no deserto. Uma mini Las Vegas com vários super hotéis-spa a beira da praia, esse é o cenário. O ônibus faz algumas paradas que devem ser mais ou menos perto do hotel que você vai ficar, se você decidir passar a noite por lá.

Nós fizemos um bate e volta de Jerusalém e por isso decemos na primeira parada que é em frente a um shopping. Esse shopping está a beira da praia e além de lanchonetes, casa de câmbio e lojas de souvenir, tem tudo o que você poderia precisar em um dia de praia. Tem roupa de banho, toalha, chinelo, cosméticos do mar morto e a famosa lama empacotada. Sim! Compre uma, custa R$5, você vai precisar depois.

A praia de Ein Bokek, ao contrário de Ein Gedi, é super estruturada para os turistas. Tem banheiro, trocador e várias duchas espalhadas em certos pontos da praia. A areia é de uma cor meio mostarda e a única desvantagem é que o fundo do mar nao é de lama. Aí entra o pacotinho que te falei.

Porque nao é porque nao tem lama que nao íamos viver a experiencia completa. Seguimos as instruçoes do pacote: passamos a lama, deixamos secar e depois lavamos no Mar Morto que por possuir tanto sal tem sua composiçao de minerais alterada e chega a ser oleoso. Daí que a lama te exfolia e o mar oleoso te hidrata.

Mas antes disso entramos no mar, fazia 20ºC em Dezembro, aprendemos a boiar, tiramos várias fotos e nos divertimos muito. Vale muito a pena!

Na volta, pegamos o mesmo ônibus, do lado contrário. O ponto fica bem em frente à praia. Dá para comprar a passagem diretamente com o motorista para voltar a Jerusalém. Se você vai seguir para Eilat, tem que comprar com antecedência. Como há muita gente indo para lá, pois é a fronteira com a Jordânia, há o risco do ônibus lotar (inclusive a “lotaçao” do pessoal de pé) e o motorista nao te deixar subir. Os ônibus sao muito bons e senti muita segurança em todos os momentos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s