Copenhagen · Dinamarca · Europa

Copenhagen, introdução à jóia da Dinamarca

Copenhagen é a encantadora capital da Dinamarca, terra natal do escritor de contos de fadas, Christian Andersen (o Patinho Feio, a Pequena Sereia, as novas vestes do Imperador, a Princesa e a Ervilha entre outros), da fábrica da cerveja Carlsberg, do Museu de Arte e Design, da família real mais antiga do mundo e do segundo parque de diversões mais antigos da Europa, o Parque Tivoli.

Ela é formada por 406 ilhas sendo somente 70 habitadas por pouco mais de 6 milhões de habitantes. As Ilhas Faroé e a Groelândia são teritórios seus.

Copenhagen está localizada na Ilha de Selandia (Sjælland) a 30 km da cidade de Malmö na Suécia. A viagem entre as duas cidades é feita pela famosa ponte-túnel de Øresund que atravessa o mar.

São muitos as atributos dados à Dinamarca, mas uma de suas marcas registradas são os Vikings que habitaram Copenhagen do ano 800 até 1100 contribuindo para a formação de um período de ouro para o país.

Navios Vikings no Porto Novo de Nyhavn

Os vikings eram exímios navegadores e desbravaram toda a costa da Europa chegando a conquistar a Inglaterra (York é considerada sua capital Viking). Na verdade o nome Copenhagen (København) significa porto de compras.

Os vikings eram pagãos, adoravam os Deuses nórdicos, e deram aos ingleses os nomes de 6 dos 7 dias da semana, por exemplo do Deus Tor, em dinamarquês Torsday, em Inglês Thursday, em português quinta-feira. Para quem gosta do tema Vikings tem alguma informação no Museu Nacional (Nationalmuseet) e o mais especializado é o Museu Roskilde a 30km de Copenhagen.

Museu Nacional

A partir do ano de 965 se começa a introduzir o Cristianismo na Dinamarca e surge a figura do bispo Odense (São Canuto) determinante na cristianização dos vikings pagões. Em 1536 a Igreja Dinamarquesa se desliga da Igreja Católica e se une às Igrejas Protestantes. A Igreja tem um papel muito importante na vida dos dinamarqueses que até hoje doam uma parte do seu salário como se fosse uma espécie de dízimo. As igrejas são como clubes/ associações que promovem a vida social e cultura durante o inverno com concertos, jantares e inclusive há uma que tem academia de crossfit!

A Noruega sempre teve uma relação especial com seus vizinhos escandinavos e com a União de Kalmar, a Dinamarca se uniu com a Noruega (incluindo Groenlandia (que ainda hoje é território da Dinamarca), as Ihas Faroé, Suecia e Finlandia sob o poder da rainha dinamarquesa Magarita I. Mas foi atacada pela Inglaterra no século XX e perdeu parte dos seus territórios.

Em 1940 a Dinamarca sofreu uma invasão das tropas alemãs. Os nazistas se “hospedaram” no Hotel D’Angleterre, o mais chique da cidade, até que em 1943 ela se uniu à Resistência e as tropas alemãs foram expulsas.

Depois da guerra a Dinamarca se uniu à OTAN, à ONU e à União Européia, com a qual tem uma relação de amor e ódio e não adotou o Euro, a moeda é a coroa dinamarquesa (1€=6,7 coroas). Nessa época se iniciou uma grande industrialização do país e o conhecido Estado de Bem Estar caracterizado por elevados impostos (o desconto mínimo sobre o salário é de 36%!) e completa prestação social por parte do Estado.

O salário é calculado por hora. O salário mínimo é 11€ – 13€/hora (menos o desconto de 36%) o que dá em torno de 1500€ por mês. Por outro lado a assistência médica é gratuita, o ensino é público e há um grande incentivo financeiro para a natalidade. Um estudante ao entrar na faculdade (e não faltar) recebe por mês 600€ do governo e um desempregado por volta de 1000€ até encontrar um novo trabalho (claro que há um controle rigoroso por parte do governo).

Esse Estado de Bem Estar é o que classifica a Dinamarca como o país mais feliz do mundo, seguida pela Suécia e Finlândia. Outra característica dessa felicidade é o “Hygge” ou pequenos momentos de felicidade como por exemplo, aproveitar os escassos raios de som tomando uma cerveja em meio ao rigoroso inverno.

Dinamarqueses fazendo Hygge no parque

No Youtube tem um vídeo chamado “O Segredo da Felicidade dos Dinamarqueses” estrelado pelo ator mais popular do país, o Mads Mikkelsen (Hannibal) que é curto e super interessante e fala de uma forma bem visual porque os dinamarqueses são tão felizes. Veja aqui.

A família Jacobsen, fundadora da cervejaria Carlsberg tem até hoje muita influência na sociedade dinamarquesa, constribuiu para muitos avanços e é dona da cadeia de lojas Flying Tiger super conocida aqui na Europa. O nome da cervejaria vem da junção de Carl (nome do filho do seu fundador J.C. Jakobsen + bjerg (colina em dinamarquês, onde está instalada a fábrica) que pode ser visitada e tem degustação no final.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s