Bélgica · Bruxelas · Europa

Bruxelas | Chocolate, batata frita, waffle e cerveja! (onde encontrar)

A Bélgica é um verdadeiro paraíso gastronômico onde chocolates, batatas frita, wafle e cervejas – além de estarem entre os melhores do mundo – são encontrados facilmente em cada esquina da cidade. E são bons, deliciosos, maravilhosos… (pausa para comer um bombom agora).

  • Chocolates

O chocolate já é conhecido de muitos, quem nunca viu/ comeu uma caixa de pralinés Guylian (vende no @wallmart) ou fez brigadeiros com cacau em pó da Callebaut. Mas essas pequenas amostras encontradas no Brasil não chegam nem perto do verdadeiro paraíso que é a Bélgica.

Já no aeroporto/ estação de trem uma enxurrada de lojinhas chegam a encher os olhos e alegrar o olfato em uma simples caminhada até a saída. O ápice, no entanto acontece nas Galerias St Hubert que reúne as melhores “Maison Chocolatiers” do país: Pierre Marcolini, Cot D’Or, Mary (a preferida da família real), Neuhaus, Godiva e Leônidas.

A invenção do chocolate tem muitas origens – Holanda (van Houtten), Suiça (Lindt) e Bélgica (Neuhaus), mas os belgas foram os que mais aperfeiçoaram a técnica e sua fama de espalhou mundialmente. O chamado “chocolat belge d’excellence”.

Neuhaus era um farmacêutico suíço que se mudou para Bruxelas onde abriu uma pequena farmácia. Teve a ideia de envolver os remédios em chocolate para que seu sabor fosse mais agradável e em 1857 chegou à fórmula do chocolate em barra (antes disso o chocolate era somente bebido).

Além disso Neuhaus inventou, em 1912, o Praliné, não o que nós conhecemos de açúcar caramelado com amendoins, mas um tipo específico de bombom com uma casquinha de chocolate puro e recheio de de chocolate misturado com uma fruta ou amêndoa, em geral avelã, a conhecida gianduia.

Godiva

Mas a esposa de Neuhaus foi além e colocou os bombons em uma caixa de presentes e as vendas da pequena lojinha nas Galerias Reais estouraram. A loja existe até hoje, dentro das Galleries St Hubert, onde tivemos uma experiência incrível no Salón de Chocolat, ao lado da loja.

O chocolate quente é muito cremoso e delicioso, servido acompanhado de pralinés e macarróns. Aliás o chocolate belga tem muito mais cacau e é muito mais puro (e forte) que o nosso.

Nós fizemos um verdadeiro ‘tour’ pelas lojinhas e os mais delicados e saborosos, na minha opinião são os do Pierre Marcolini e da Mary. Veja esse post com informaçoes sobre todas as lojas que visitamos e como encontrá-las.

Mary
  • Batata Frita

A batata frita é um dos maiores orgulhos gastronômicos do país e divide autoria com a Holanda e a França. Na verdade, ninguém sabe ao certo onde ela surgiu e existem várias lendas, mas na minha opinião a batata frita surgiu certamente quando os três países formavam uma única região e daí vem a confusão.

Belga, holandesa ou francesa essas são as melhores batatas fritas do mundo e eu não consegui passar um dia sem elas. Cortadas rusticamente são fritas duas vezes: a primeira em gordura de porco e a segunda vez em óleo vegetal. Sim, faz mal para a saúde, mas bem para a alma.

São servidas em cones e acompanhadas por molhos como maionese, catchup, jupsauce (curry), amendoim, hollandaise entre outros. Uma delícia!

São facilmente encontradas nos vários foodtrucks espalhados pela cidade, lanchonete, além de acompanharem a maioria dos pratos locais. As mais gostosas encontrei na Belgian Frites na rue Madeleine, 1, Bruxelas.

  • Waffle

O waffle (do holandês) ou gofre (do francês) é tipicamente belga, uma massinha doce prensada, e era usado na Igrejas com hóstia. Imagens cristãs eram prensadas na bolachas entregues aos fiéis.

Também são encontados em vários food trucks pela cidade e em lojinhas especializadas na iguaria. O típico wafle belga é servido somente com açúcar polvilhado por cima, mas há muitas variações com nutella e chantilly com morangos.

Próximo ao Manneken Pis está a maior concentração de “Waferias” por metro quadrado. Escolha a sua e coma feliz!

 

  • Cerveja

Os belgas fazem cerveja há muito tempo e são os produtores da melhor cerveja do mundo, a A Anheuser-Busch (AB) InBev, sediada em Leuven, uma cidade do interior da Bélgica.

Eles são os maiores produtores do mundias da bebida e como dizem os belgas, a cerveja está pra a Bélgica como o vinho está para a França. O clima e a região inóspita para a uva, mas perfeita para o lúpulo e a cevada elevaram as técnicas medievais à produção das melhores cervejas artesanais do mundo além de marcas modernas como a Stella Artois e da Jupiler, a mais famosa por lá.

Além disso a água da Bélgica é de uma qualidade altíssima, ideal para a produção da bebida. A cerveja belga também foi muito influenciada pelos grandes europeus que vez ou outra dominavam o pequeno país. Os holandeses, navegadores sagazes introduziram ervas e especiarias no país e incentivaram a criação dos sabores exóticos das cervejas como chocolate, gengibre, cereja, banana etc.

As cervejas mais famosas são as trapistas, produzidas pelos monges na abadias, e que lembram a Malzbier. Dentre as claras indico a Duvel, Jupiler, Oz e a famosa Delirium Tremens.

A Kriek, mais adocicada é muito famosa (essa minha da foto abaixo), pois para cada litro são adicionados 300gr de cereja. Na minha opinião deliciosa. Eu gostei de todas de fruta: framboesa, morango, pêssego, abacaxi além da de chocolate que é muito boa.

Muitas são vendidas em mercados com preços ligeiramente menores, mas a melhor loja, na verdade o paraíso das cervejas e seus acessórios é a xxx na xxxx. Passeio obrigatório!!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s