Europa · Istambul · Turquia

Beyoglü, o bairro mais cool de Istambul

Na segunda parte da nossa viagem, decidimos trocar de hotel para ficar do outro lado do Corno de Ouro, no bairro de Beyoglü, o mais vibrante da cidade. Escolhi essa localização para a segunda parte da viagem em que estaríamos aí em um domingo e esse bairro nunca dorme enquanto que a parte do centro antigo fica quase toda fechada.

 

Chegamos sábado à meia-noite e á 1:00 descemos para tentar comer alguma coisa. Nosso hotel ficava atrás da avenida principal, a Istiklal, e qual não foi a nossa surpresa ao encontrar tudo aberto e funcionando como se fosse 5 horas da tarde.

As lojas todas abertas, a iluminação de Natal acesa, a música das casas noturnas tocando, as barraquinhas de comida servindo e gente saindo e entrando nos restaurantes. Era justo o que queríamos naquele momento! Comemos em um restaurante italiano muito bom, o Esmer Café, e super barato também: 14 euros para 2 pessoas!

Beyoglü fica na colina mais alta do lado Europeu de Istambul, separada do centro antigo pelo Corno de Ouro. Sua principal avenida, a Istiklal, começa na Praça Taksim e vai até a Ponte de Galáta.

O caminho se pode fazer caminhando ou com um bondinho turístico.

Nós fomos descendo em direção à Torre de Gálata, passando por suas centenas de lojinhas, galerias de arte e restaurantes.

As lojinhas ao redor da torre são super fofas e vendem desde jogos de chá e porcelana à lustres, joias, objetos de vidro soprado e doces. E como os Turcos adoram doces, todos com um nível de açúcar jamais alcançado por outros países. Tente provar uma baklava ou o lokum (turkish delight). Além de já serem doces, a maioria é coberta por uma calda de açúcar. Eu adoro!

Aliás, se você, assim como eu se interessa pelo assunto há dois tipos de lokum, os industrializados que são bem mais baratos e geralmente vendido em caixas fechadas ou em kits e o artesanais que são vendidos por kilo. Prove os dois. Dentre os artesanais prove o de rosas com pistaches e o de coco. Ambos incríveis!

Lokum (Turkish delight)
Baklava

Fomos a um dos diversos ateliês que há por ali e eu fiquei encantada com tudo. Comprei itens de decoração e um bracelete de pedras turcas lindo! Também comprei copinhos de chá e chá de romã.

E por falar em romã,não deixe de tomar suco de romã feito na hora. Tem por todos os lugares! Virei fã quando fomos à Jerusalém e agora sempre que encontro não perco.

A Torre de Gálata é medieval e foi construída durante o período de expansão da Constantinopla como um ponto de controle da parte norte da cidade. Na época era a construção mais alta e, por isso, guarda um mirante lá em cima. Chegue cedo se não quiser pegar fila.

Ao pé da torre também há uma série de cafés super descolados e que inclusive servem o típico café da manha turco com vários pratinhos de ovos com queijo, queijo com mel etc. Uma pena que já havíamos tomado café da manha no hotel.

Seguimos baixando até a Ponte de Gálata que une Beyoglû ao centro histórico.

A ponte é muito conhecida pelos pescadores que pescam diariamente ali de cima e vendem os peixes diretamente no mercado de peixes.

O peixe mais famoso é o Balik, uma espécie de peixe azul, como a sardinha. Há vários postos debaixo da ponte que vendem o famoso sanduíche de Balik frito dentro de uma pão de leite acompanhado por um suco de picles. Para os fortes certamente.

Atravessamos a ponte e chegamos ao bairro de Eminönü. Visitamos o Mercado Egípicio ou Mercado de Especiarias, o segundo maior bazar de Istambul, depois do Gran Bazaar, e que, sim, abre aos domingos.

Um festival de cores, cheiros e sabores. São dezenas de queijos, pimentas secas, temperos e doces turcos. Para se esbaldar.

Também nessa zona fica o Palacio Dolmabahçe, que passou a ser sede do Império Otomano a partir de 1865 quando o então o Sultao Abdulmecid decidiu trasladar-se a ele.

Ele é super bonito, mesmo de fora e tem um portao com vista para o Bósforo de tirar o fôlego. Também é possível visitá-lo por dentro acompanhado de um audio guide.

Terminamos a tarde no Spa do Hotel, ficamos no Gran Hotel de Pera, que recomendo, e que oferece também hamman. Mas dessa vez optamos por ficar alternando entre a sauna seca e a sauna de vapor, nadar na piscina aquecida e finalizamos com uma bela massagem relaxante.

Jantamos no restaurante Ficcin de comida típica turca, na rua ao lado do nosso hotel e que foi recomendado pelo concierge. A comida deliciosa, o ambiente super agradável e o atendimento, pelo próprio dono, fenomenal.

Provamos vários pratos típicos e tomamos o raki, o famoso licor turco de anis. E foi aí que comi a melhor sobremesa da vida: abóbora assada, com calda de mel e tahine! Imperdível.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s