Edimburgo · Escócia · Highlands

Escócia | O que ver em Stirling, bate e volta perfeito de Edimburgo

Stirling está a meio caminho entre Edimburgo e Glasgow e é a porta de entrada das Highlands. É uma parada obrigatória para quem quer visitar o interior da Escócia principalmente por abrigar um dos maiores monumentos históricos da Escócia: o Castelo de Stirling!

Para quem ama história como eu, visitar essa cidadezinha medieval te transportará imediatamente para a batalha pela indepedência da Escócia liderada por William Wallace (do filme “Brave Heart” com Mel Gibson) e para a história da Rainha Mary Stuart da Escócia (da série “Reign” da Netflix).

Em Edimburgo pegamos um ônibus da Citylink que nos deixou bem no centrinho de Stirling (Old Town) em cerca de 1 hora. Do centrinho até o Castelo é uma reta só subindo uma ruazinha medieval lindíssima por cerca de 10 minutos.

Construído no topo de uma colina vulcânica, Stirling é aquele castelo que você imagina quando é criança: com foços, muralhas, canhões e armaduras. É uma das fortalezas mais bonitas da Escócia. Logo na entrada da esplanada da fortaleza estão as estátuas de dois heróis escoceses: Robert the Bruce (Rei da Escócia) e William Wallace.

Ao entrar no castelo será inevitável transportar-se por algumas horas para o século XVI, no palácio do rei Jacob V onde Mary Stuart foi coroada com 2 meses de idade. Sua mãe assumiu como regente e com 6 anos Mary foi prometida a Francis, filho de Henry II, rei da França e passou sua infância e adelescencia entre o Castelo na França e um convento de monjas.

Com a ambição do rei da França de dominar a Escócia e a Inglaterra (Mary estava na disputa do trono junto com Elizabeth I que era filha bastarda de Henrique VIII e Ana Bolena) ela se casou con Francis, e depois da morte do Rei, ambos foram coroados Rei e Rainha da França e da Escócia. Depois de 1 ano de casados Francis II faleceu e Mary voltou à Escócia. Enquanto sua mãe havia morado e governado no Palácio de Edimburgo, Mary escolheu o Palácio de Holyrood.

Percorrendo suas muralhas é possível admirar as lindas vistas das Highlands e ver o Monumento a William Wallace (ao qual se pode subir e também ver Stirling do alto) e a Ponte de Stirling onde ocorreu sua batalha histórica de 1297.

Essa ponte de pedra do final do século XV era uma pssagem estartégica entre a invisível fronteira entre as Terras Baixas e as Highlands. Foi protagonista na Batalha da Ponte de Stirling na Guerra de Independência da Escócia.

Os escoceses, em minoria contra as tropas inglesas, se posicionaram em cima da ponte e os Ingleses, para atacá-los, tiveram que atravessar a ponte em pequenos grupos e assim os escoceses foram matando um a um e ganharam a batalha.

William Wallace foi considerado um herói, mas infelizmente, poucos anos depois, em 1305, foi capturado e esquartejado pelo inglese e cada parte sua foi enviada a uma cidade diferente da Escócia como exemplo do que aconteceria a quem se opusesse às forças inglesas.

Na volta do Castelo, baixando a colina em direção à Old Town, depois de passar pelo antigo Palácio de Mark Wark, paramos na Igreja Holy Rude fundada em 1129. é o segundo edifício mais antigo de Stirling, depois do Castelo, onde aconteceu a cerimônia de coroação do filho da Rainha Mary Stuart, Jacob VI, que também foi Rei da Inglaterra, com a união das duas coroas.

Nos encantamos com as ruazinhas de pedra, as casinhas medievais e os gaiteiros de Fole. Paramos em um café só para ficar apreciando aquele clima gostoso de cidadezinha medieval européia.

E fizemos Skype com meus pais para mostar a edição do famoso jornal “The Herald” que é o nome do meu pai em Inglês.

Bem na pracinha central está a Mercat Cross, uma coluna coroada com um unicórnio que no passado indicava que a cidade tinha permissão do rei para ter um mercado e fazer comércio.

Uma curiosidade da cidade é que em muitos lugares encontramos as figura de um lobo. Segundo a lenda, por volta de 885 os Vikings tentaram atacar o Castelo de Stirling, mas ao subir a colina de noite, um deles pisou em um lobo que estava dormindo pelo caminho. Os gemidos do lobo acordaram a manada e por consequência os guardas do castelo que derrotaram os Vikings. Desde esse momento o lobo se tornou símbolo protetor de Stirling.

Stirling também tem muitas lojas e restaurantes principalmente nas ruas King Street e Murray Place. Há também um centro comercial o The Thistles onde no subterrâneo estão os restos de uma cadeia do século XVI e as Galerias Vitorinas “The Stirling Arcade”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s