Amsterdam · Europa · Holanda

Amsterdam: Vondelpark, Jordaam (Anne Frank) e Heinecken Experience

Esse dia começou com uma visita à uma vila de moinhos chamada Zaanse Schans. Para saber mais sobre a típica Holanda dos moinhos clique aqui. Voltamos por volta da hora do almoço e aproveitamos o dia para visitar as atrações que ainda faltavam e mais distantes umas das outras. Para esse dia compramos o ticket 24h do tram.

Voltamos pela Estação Central e seguimos até o Dam. Como era hora do almoço comemos uma comida típica holandesa e que eles almoçam com um copo de leite – o croquete de carne, que dentro de um pão macio é o almoço preferido dos holandeses. Isso mesmo, os holandeses fazem um lanchinho na hora do almoço e como jantam super cedo, perto das 18:00, é aí que fazem a sua refeiçao principal com a família.

Achamos na Vlaamse Frites, uma rede belga que vende as melhores fritas de Amsterdam, e um molho mehor que outro, eu amo o de amendoim! E o croquete é bem gostoso e diferente, tem que provar. Mas também tem nas várias máquinas eletrônicas de comidinhas e croquetes espalhadas pela cidade, as máquinas FEBO, é toda uma expriéncia. Veja esse post aqui sobre as comidinhas imperdíveis de Amsterdam.

Em seguida pegamos o tram até o Vondelpark, uma espécie de Central Park da Holanda. Ele foi projetado pelo mesmo designer do Keukenhof. Leia o post sobre como visitar o Keukenhof aqui. É o parque dos holandeses que vão correr, e como os holandeses gostam de correr! Fazer churrasco, tomar uma cerveja, descansar, é um lugar para ser apreciado e não um ponto turístico do tipo tá visto e pronto.

Passeamos um pouco pelo parque e pela vizinhança que gostamos bastante. Achamos o bairro parecido com os “Jardins” de São Paulo com uma pitada de Oscar Freire, com muitas lojas de grifes internacionais. Uma loja nova de cosméticos que conheci lá e adorei é a Forever Flawless cuja filosofia é adicionar diamante em pó às fórmulas que fazem uma exfoliação na pele ao mesmo tempo que hidratam e assim aumentam a eficácia do creme. O preço é um pouco salgado, mas eles entregam várias amostras mara, vale uma passada :). Uma ótima oportunidade para “window shopping” novamente.

Não deixe de visitar alguma das lojas de queijo da cidade, são muitas e vale a pena! Nem que seja só para provar, eles tem seções de degustação a todo o momento. Pegamos o tram até a fábrica da Heinecken e entramos no prédio da Heinecken Experience. Nós nao quisemos visitar a fábrica, mas se você tiver interesse, recomendo comprar o ingresso com antecedencia online aqui.

A bordo do tram novamente seguimos para o bairro Jordaam para visitar a casa de Anne Frank, mas os ingressos estavam esgotados. Tem que comprar com antecedência. Compre o ingresso online aqui.

Caminhamos pelas ruas do bairro que é considerado o mais bonito de Amsterdam e ideal para caminhadas.

É lá que fica o Moeders, o restaurante de comidas típicas holandesas, que significa mães em português porque exibe o retrato das mães dos clientes nas paredes.

Inclusive você pode levar a foto da sua que eles penduram por lá. Peça a degustação para duas pessoas que é uma sequência de pratinhos típicos e custa 19 Euros por pessoa.

Para a sobremesa, fomos ao Winkel 43, também perto do Museu da Anne Frank e comemos a melhor torta de maça da vida, o lugar é super famosinho pela torta e fica bem cheio.

 

Amsterdam · Europa · Holanda

7 comidas típicas para se deliciar em Amsterdam

Amsterdam não tem uma culinária muito típica, pois como já escrevi aqui a cidade é habitada por mais de 149 nacionalidades. Portanto a culinária é bem fusion, sendo a maioria dos restaurantes internacionais, e com bastante influência asiática. Há muitos restaurantes japoneses e a maioria das comidas ou leva curry ou vem com um molho de curry para acompanhar.

Além disso, os holandeses tem o hábito de não almoçar, isso mesmo, eles comem um sanduíche ou um croquete acompanhado de leite com suco de laranja (!) e pão com nutela ou chocolate granulado de sobremesa.

Seguem algumas opções típicas que aprovamos:

1) Batatas Fritas com Maionese

A batata frita belga (vlamse frites) domina o cenário e em cada esquina tem uma casa especializada em batatas fritas. Além disso, todos os lanches vem acompanhados de uma porção também e são deliciosas. São cortdas em palitos grossos, como uma batata rústica, e frita duas vezes, a primeira em banha de porco e a segunta em óleo vegetal :0 Super light, mas deliciosa.

E a parte light não para aí, depois de fritas você escolhe o molho que as acompanhará: maionese, catchup, amendoim entre outros. Os mais pedidos pelos holandeses são o holandês e o jupsauce (uma mistura de maionese, catchup e curry). É gostoso, mas o meu preferido é a tradicional maionese e o holandês “hollandaise”.

As batatas são servidas em cones enormes que custam cerca de 2,50 euros. As que mais gostei foram da lanchonete Vlaamse Frites.

2) Croquete de Carne (Bitterballen)

O croquete está para o holandês assim como o churrasco está para o Brasileiro. E não basta ser sozinho, tem que ser como recheio de um Broddje (pão de leite macio) e mostarda. Até o Mc Donalds tem um Mc Lanche croquete em seu menu.

É uma de-lí-cia! Tem que experimentar, o recheio é macio, parece um creme – indescritível! Pedimos junto com as fritas na lanchonete Vlaamse Frites (Voetboogstraat 33).

Mas a sua experiência holandesa nao estará completa se nao comer esse bolinho diretamente das máquinas automáticas de comidinhas espalhadas pela cidade. As comidinhas, geralmente fritas, custam em média 2 euros, você coloca sua moeda, a portinha se abre e você se delicia com um quitude holandes boníssimo e baratíssimo!

3) Broodjebaal

Outro recheio que eles colocam no famoso pão de leite (broodje) são almôndegas (broodjebaal), hamburgue (broodjehamburger) ou salsicha (broodje hot dog). Esse são vendidos nos food trucks espalhados pela cidade – em cada canto tem um. Experimentamos o nosso no Dam.

O pão é entregue com o recheio e os ingredientes (salada, pimentão, cebola frita, cenoura frita) e os molhos ficam na parte da frente do truck onde você se serve à vontade.

4) Haring (Arenque)

Uma delícia! Uma tradição típica da Holanda é comer o arenque cru com picles e cebola.

Lógico que os mais corajosos limpam o peixe, tiram a cabeça e comem o treco inteiro, mas onde fomos nos serviram cortado, com picles em um pão de leite.

Parece muito com sushi, achei delicioso. Vende nos food trucks espalhados pela cidade. Nós comemos na praça de alimentação do aeroporto Schiphol no restaurante Sea You.

5) Stroopwafel

Outra delícia holandesa! Duas camadas de wafer redondo recheados por caramelo. Dá pra comer puro como bolacha, mas o jeito certo é colocar na boca da xícara de chá ou café por uns minutos para que o caramelo derreta. Vende nos supermercados Albert Heijn e Hema.

 

6) Queijo Gouda (ou qualquer outro tipo)

As vacas holandesas já tem sua fama mundial e com razão. Os queijos são maravilhosos – o Gouda é o típico holandês que pode ser jovem, com 1 ou 2 anos de maturação, todos deliciosos, experimente todos! Ele pode também ser com páprica, pimenta, ervas, trufas, de cabra – experimente todos também!

Passe em qualque mercado Albert Heijn e faça a festa. Compre os com nomes diferentes também porque todos são deliciosos!

7) Zuurkool Stamppot

Finalmente um prato de comida! O prato mais típico da Holanda é o Stammpot – um salsichão “rookworst” defumado acompanhado por um purês de batata, repolho, bacon e mais alguns legumes que não consegui identificar.

A salsicha também é acompanhada por um molho que parece barbecue, mas não é ;). É gostoso, principalmente o purê, o defumado da salsicha “rookworst” achei bem forte, mas gostoso.