Italia · Sardenha

Sardenha | Como montar seu roteiro de praias pela ilha

A Sardenha é a segunda maior ilha do mar Mediterrâneo entre a Itália e a Espanha e ao sul da Ilha francesa de Córsega.

As distâncias são relativamente grande entre um lado ou outro da ilha e por isso há 3 possibilidades de roteiro: Noroeste (aeropoto de Alghero), Nordeste (aeroporto Olbia) ou sul (aeroporto Cagliari).

sardenha

– Em qual cidade chegar e se hospedar

Dependendo de qual das 3 zonas/ áreas que você quer conhecer você pode:

  1. Nordeste (aeroporto de Ólbia): hospede-se nas cidades de Porto Cervo ou Ólbia. É aí que fica a famosa Costa Esmeralda. Também será sua base para visitar as ilhas próximas de Córsega e Magdalena;
  2. Noroeste (aeroporto de Alghero): hospede-se em Alghero. Também é base para conhecer uma das praia mais bonitas da regiao, a La Pelosa um pouco mais ao norte;
  3. Sul (aeroporto de Cagliari): hospede-se em Cagliari para conhecer o sul da Ilha.
  4. E se tiver pelo menos uma semana por lá, chegue pelo Aeroporto de Alghero e saia pelo de Ólbia para conhecer o melhor da Ilha e monte base em duas cidades.

– O que visitar/ melhores praias

Sardenha

Noroeste (Sassari)

Com base em Alghero dá pra conhecer todas as praias da Costa Oeste com no máximo 30 minutos de deslocamento.Você pode conhecer as praias de carro, mas atençao que é proibido entra com carro no centro histórico, se você se hospedar por lá, e tem pouco lugar para estacionar por perto.

As mais bonitas para o norte de Alghero são La Bombarde, Lazaretto, Mugoni e vale esticar até Capo Caccia para ver a Gruta de Netuno.

Sardenha

Também vale um bate e volta até a praia La Pelosa, já no norte da ilha que levará 1 hora mais ou menos. Para todas essas praias é possível ir de carro ou com o Beach Bus. As exceçoes sao La Pelosa e Bosa às qual se chega com ônibus regular ou com tour privado.

Bilhetes ônibus: o bilhete para o Beach Bus você compra dentro do próprio ônibus com o motorista por 5 euros (paradas ilimitadas dentro de 24 hs). A parada principal fica na Via Catalogna.

Sardenha

O bilhete para os ônibus regulares (que inclui o do aeroporto) você compra ou diretamente com o motorista ou no quiosque da ARST, que é a companhia de ônibus da Sardenha, na Via Catalogna. Nesse mesmo quiosque, compra-se o bilhete de ônibus para o aeroporto, que é super confortável e vale 1 euro contra 30 euros do táxi.

Nordeste (Ólbia)

Sardenha

Nesta parte da ilha começa a famosa Costa Esmeralda e aqui você precisará alugar um carro. Recomendo a Sicily by car (que é a low cost da Auto Europe) Além de mais barata, tem menos burocracias e que te aluga carro somente com a permissao européia de dirigir provisória, mas claro que só descobri isso lá.

Quando cheguei à Barcelona, entreguei minha carteira brasileira e solicitei a espanhola, mas ela nao ficou pronta a tempo e tive que cancelar esta parte da nossa viagem (fizemos somente a parte Noroeste até Capo Caccia). Outra dica é alugar o carro com bastante antecedencia, pois o preço sobe muito perto da data da viagem e nao há carros suficientes para todos os turista, ou seja, nada de alugar no balcao ou você ficará na mao.

Com base em Porto Cervo, dá pra conhecer o norte, como Santa Teresa de Gallura com alguns pontos famosos como Capo testa, Spiaggia di Cala Espinosa e a Torre di Logosardo.

Sardenha

Também é a base perfeita para explorar as ilhazinhas da regiao:

Troque de base, agora, e hospede-se em Ólbia. No primeiro dia pode-se visitar a Spiaggia Capriccioli (8km), Spiaggia del Principe (10km), e a Spiaggia de Portisco (12km) que estão próximas umas das outras.

No segundo dia, um pouco mais para o sul, visite a Cala Moresca (34km), a Cala Girgolu (50km) e Porto San Paolo (7km).

 

Vale a pena alugar carro?

Como comentei acima, nosso plano inicial era alugar um carro e fazer a parte Noroeste e Nordeste da Ilha. O carro além de de dar mais conforto te permite descobrir várias praia e calas escondidas, que sao o verdadeiro charme da regiao. Como nao pudemos alugar fizemos somente a parte Noroeste e fomos de praia em praia com o Beach Bus.

Se sentimos falta do carro? Sinceramente nao e demos graças a Deus que nao tínhamos que buscar lugar para estacionar, pois como você pode imaginar a ilha, em pleno Agosto, é lotada! Visitamos todas as praias que queríamos, subimos até Cappo Caccia, super confortáveis e com ar condicionado, nos hospedamos no Centro Histórico e visitamos varios restaurantes a pé. Eu alugaria um carro no último dia, em que vocë estiver deixando Alghero, visitaria La Pelosa ao Norte e seguiria para a Costa Esmeralda, onde sim, o carro é essencial.

 

Europa · Italia · Veneza

A Veneza de Ernest Hemingway | Café Florian e o afamado Harry’s Bar

 Ernest Hemingway chegou em Veneza por volta de 1954 para se recuperar de um acidente de avião. Ele já era famoso na época e aproveitou esse tempo para escrever mais um de seus romances: Na outra margem, entre as árvores.

Um dos seus lugares favoritos para isso era o Café Florian, a mais antiga e tradicional cafeteria de Veneza, aberta desde 1720 (sem nunca ter fechado!).

Veneza

Além de Hemingway, Goethe e Russeau também eram frequentadores assíduos o que transformou o lugar em muito mais do que uma cafeteria, em uma atração turística.

Veneza

Veneza

O lugar é caro, mas vale cada centavo. A atmosfera e a comida são maravilhosos.

Veneza

Há salas de exposições de arte como a dos Homens e das Mulheres Ilustres, além da própria arquitetura que é de cair o queixo.

Veneza

Veneza

O Café Florian rivaliza com o também famoso Café Lavale (logo em frente) também na Praça São Marco. Escrevi Café Lavale aqui.

Veneza

Outro lugar bate-ponto de Hemmingway era o bar mais famoso de Veneza, o Harry’s Bar, famoso pela criação do drink Bellini, em homenagem ao escritor.

Veneza

Hemingway tinha cadeira cativa no bar, e pediu ao barman para criar um drink especial para ele.

Veneza

Assim surgiu o Bellini, um dos drinks mais famosos da Itália! Esse bar também é o berço do Carpaccio.

Veneza

Se ficou com vontade de experimentar a Expand já trouxe a bebida para o Brasil, produzida pela vinícula Canella.

Veneza

O bar é histórico e está sempre lotado, geralmente tem fila na porta e é bem carinho, acho que duas doses de Bellini acompanhadas de um bowl de azeitonas saiu por cerca de 20 Euros! Mas eu gostei!

Veneza

E para quem for finalizar a noite no Harry’s Bar como nós, ele não podia ser melhor localizado, ao lado da estação de Vaporettos.

Veneza

A neve havia dado uma trégua, mas assim que descemos em Veneza Mestre, ela deu as caras novamente! Sorte que nosso Hotel Tritone, super recomendo, ficava bem em frente à estação. =)

Escrevi sobre ele aqui. Faça sua reserva pelo Booking. com com meu desconto aqui.

IMG_1008cpct

Atravessamos a rua da estação, rumo ao nosso hotel e demos de cara com um restaurantezinho super descolado, com enormes janelas de vidro e decidimos entrar para apreciar a neve caindo.

Veneza

Escolha acertadíssima, o Soul Kitchen nos presenteou com massas frescas bem preparadas e a ótimos preços!

Veneza

Experimentei um macarrão a Cacio e Pepe, típico de roma, com queijo cacio cavalo e pimenta regado a um belo Valpolicella, vinho típico do Veneto, recomendado pelo Sommelier da casa.

Veneza

Finalizamos a noite com um não menos maravilhoso Tiramissu, que provei em todos os restaurantes que fomos. =)

Veneza

Na saída, todos os carros já estavam branquinhos de neve.

Veneza

A vista do nosso quarto era de marshmellow…

Veneza

Teve até guerrinha de neve antes de dormir. 🙂 Foi nossa primeira neve juntos!

Veneza

Europa · Italia · Veneza

Veneza | Como fazer o passeio de Gôndola, Cafés históricos e Neve

No primeiro dia na cidade queríamos ter uma visão geral de Veneza com suas gôndolas e pontes. Partimos a pé da estação de trens Veneza Santa Lucia e percorrendo as vielas de Veneza, nos encantando a cada detalhe.

Veneza

As casinhas coloridas, as patisseries com o colorido dos spumonis e torrones, diversas lojinhas de murano, as barraquinhas de máscaras, sim era Carnaval.

Veneza

Veneza

Tomamos Limoncello ao lado de barracas de massas eróticas :0

Veneza

Encontramos muita gente fantasiada.

Veneza

Passamos por diversas pracinhas e sentamos em charmosas ‘biscotterias’.

Veneza

Veneza

Veneza

Cruzamos pontes e mais pontes até nosso destino final, a Piazza San Marco. Escrevi sobre ela aqui.

Veneza

A praça estava toda vestida para o Canaval Veneziano, escrevi sobre a festa aqui.

Veneza

Mas nosso destino era o Caffé Lavena, bem próximos à Torre do relógio, famoso reduto de músicos e artistas, dentre eles Richard Wagner.

Veneza

Veneza

Estávamos ávidos para provar nosso primeiro Bellini, (uma bebida típica de Veneza composta por espumante e suci de pêssego; foi criada no Harry’s Bar especialmente para Ernest Hemmungway) mas deve-se notar que nesse café o tal drink só é servido no verão… (voltamos no verão e cada drink custava quase 30 euros! se não for pro seu bico, como não era pro nosso, vá em bares mais afastados da Piazza San Marco ou compre a garrafa em qualquer supermercado).

Veneza

Trocamos pelo não menos delicioso Puccini, que é uma variação do purê pêssego para suco de laranja.

Veneza

O Café Lavena fica em frente e rivaliza com o não menos famoso Café Florian, a cafeteria mais antiga do mundo aberta desde 1720. Veja como foi nossa visita ao Café Florian aqui.

Veneza

Na saída do Café, o dia que havia amanhecido cinzento estava de um azul bebê-caribe de cair o queixo. E a que esse céu inspira? Ao passeio de gôndola.

Veneza

Nos aproximamos de um dos canais adjacentes – o Grand Canal é muito agitado, então dê preferência às canaletas – negociamos o percurso e o preço com o gondoleiro.

( da segunda vez que fomos, no veråo, pagamos o mesmo preço, mas foram 30 minutos e fizemos o canal ao lado do Palácio dos Duques, onde fica a Ponte dos Suspiros, e passamos por debaixo dela;

dessa vez vi várias gôndolas com cantores e sanfoneiros, em geral, em passeios coletivos com outras 6 pessoas comprados online por cerca de 45€; não fui nesses passeios, mas os reviews parecem bons, pode ser uma opção mais em conta).

Veneza

Ao vivo, não dá pra pechinchar muito porque o preço é tabelado, mas nada que uma choradinha não resolva e voilá… quer dizer andiamo!

Veneza

O passeio de gôndola dura de 40-60 minutos e custa de 70-100 Euros o casal.

Veneza

Para mim, ir à Veneza e não andar de gôndola, era como ir à Roma e não ver o Papa.

Veneza

Romantismo na veia… e não… ele não cantou…

Veneza

Ah… outra ponte… (suspiros)

Veneza

A essa hora já estávamos com fome e caminhamos até o Alfredo Fresh Pasta que é super indicado pelo Trip Advisor. Recomendo! Escrevi mais sobre as comidas italianas aqui.

Veneza

Escolher um restaurante e conseguir chegar lá em meio a um emaranhado de ruelas, só foi possível porque compramos um chip de Internet e usamos o App Maps do Iphone. Escrevi sobre isso aqui.

Veneza

Depois disso a sobremesa foi: sorvete de nocciola, o meu preferido!

Veneza

Pulamos Carnaval na Piazza San Marco e assitimos aos espetáculos que estavam acontecendo por lá. Escrevi sobre isso aqui.

Veneza

Encerramos a noite no quarto com alta gastronomia: burrata, presunto cru, vinho, e Bellini. 🙂

Veneza

 

Europa · Italia · Veneza

Veneza | Dicas de Localização, Transporte, Internet 4G e Hotel

Veneza é visitada por milhões de turistas o ano inteiro, e principalmente na época de Carnaval e no verão é importante fazer a reserva do hotel com 3 a 6 meses de antecedência, pelo menos é essa a técnica que eu uso para conseguir as melhores tarifas, nos melhores lugares dentro da faixa de preço escolhida e com a melhor localização.

– Localização

Você pode escolher ficar no centro histórico de Veneza, que é bem caro e só de pensar que eu teria que carregar a minha mala da estação de trem até o hotel desisti na hora, mas se você faz questão recomendo ficar nos hotéis perto da estação Santa Lucia, pois será mais fácil de achá-lo, já que por lá não há sinalizações e se chegar de noite não haverá ninguém nas ruas para dar informação.

Veneza

Antes da viagem li vários relatos de como era difîcil se localizar na cidade, de achar os restaurantes indicados então tive a ideia de usar a Internet 3G e deu super certo. Compramos um SIM com Internet pré paga de 1gb da Wind e foi a melhor decisão que tomamos. Custou em 2013 15 Euros por 30 dias. Foi a melhor decisão que tomamos e não precisamos de mapas em lugar nenhum e encontramos todos os restaurantes que havíamos selecionados.

Outra opção são os hotéis na beira do Gran Canal cujos táxis aquáticos podem te deixar bem na porta.

IMG_4249cpct

– Hospedagem

Nós optamos por ficar em Veneza Mestre em um hotel bem próximo à estação de trens. A região próxima à estação é bonita e muito segura. Escolhemos Veneza Mestre por dois motivos: o primeiro é que decidimos viajar com uma semana de antecedência e em alta temporada (Carnaval) – os preços dos hotéis estavam exorbitantes e o segundo é que não queríamos ter que ficar arrastando nossas malas pelas ruelas.

veneza mestre

– Transporte

Chegamos no aeroporto Marco Polo à 9 da manhã. Assim que você sai no saguão de desembarque, do seu lado esquerdo ficam os guichês dos ônibus e em frente o do táxi aquático.

Pegamos um ônibus da ACTV  até a estação Veneza Mestre que custou 6 Euros por pessoa.

VenezaBilhete do ônibus comprado no aeroporto

De lá caminhamos 200m até a Viale della Stazzione onde ficava nosso hotel, o Tritone Hotel.

hotel tritone

A estação de trens de Veneza Mestre tem o mesmo nome e para chegar na ‘Veneza’ que conhecemos é só descer na  estação seguinte que é a Veneza Santa Lucia. O biglete custa 1,20 Euros e o trajeto dura 5 minutos.

Chegando na estação Veneza Santa Lucia, para ir aos ‘pontos turísticos’ você pode ir caminhando, de gôndola ou de Vaporetto, que é o metrô aquático da cidade.

Dicas Praticas Veneza

O jeito que mais gostamos foi a pé porque é uma delícia se perder pelas ruazinhas da cidade.

Também usamos o Vaporetto no dia mais frio e para ir aos lugares mais distantes. O Vaporetto funciona como o metrô da cidade parando em várias estações ao longo dos canais. O valor do bilhete individual é alto, 7 Euros, e o mesmo vale por 60 minutos. O ideal é comprar o bilhete para 12, 24 ou 48 horas sendo o de 12 horas 18 Euros. Por 22 Euros você compra o bilhete de 12 horas e ganha um ‘tour’ pelo Gran Canal.

Recomendo comprar esse bilhete no dia em que for visitar os museus, pois ele funciona como os ônibus ‘hop on hop off’ e você pode descer e subir quando quiser.   O barco é bem lotado e na maioria das vezes íamos de pé na parte externa que é bem gelada!

Dicas Práticas de Veneza

Se escolher a gôndola, negocie o valor com o gondoleiro, mas tenha em mente que o preço é tabelado e gira em torno de 70 a 100 Euros a volta pelo Canal.

– Hospedagem

O Hotel Tritone é muito bem localizado, quase em frente à estação (é só atravessar a rua) e fica em uma espécie de mini shopping onde também fica o Hotel Plaza, muito bom também pelo que vimos, e com um restaurante excelente com massas frescas e deliciosas, o Soul Kitchen. Jantamos lá duas noites. O shopping também abriga uma locadora de carros da Herz e duas lojinhas de conveniência 24h.

Iphone 1015cpctVista da Viale della Stazzione do Soul Kitchen

VenezaEstação de Trens Veneza Mestre

O Hotel é uma graça e gostamos bastante do atendimento. Logo na entrada há uma máquina de cafés, chocolates e afins e uma mesa com garrafas de água mineral e croissants fresquinhos a vontade. Adoramos porque chegamos sem café da manhã e foi a salvação.

Iphone 743cpctHall do Hotel

hote tritoneCroissants e sucos a vontade

O quarto é espaçoso, com frigobar e cama bem confortável. Os lençóis e toalhas são bem limpos e aquecimento e o banheiros também são bons.

VenezaNosso quarto

O café da manhã é bem farto com buffet convencional e americano além dos itens típicamente italianos como tomatinhos cereja, mussarela de búfala e Nutella. Ah, a Nutella… o marido achou igual à do Brasil, mas eu juro que é mais cremosa… e lá vende também uma espécie de ioio mix de Nutella… uma perdição.

Veneza