Cusco · Peru

Peru | City Tour em Cusco – parte 1

Quem me conhece deve estar estranhando o título do post poque sabe que eu não gosto de city tours e não sou adepta de excursões. No entanto, em Cusco, o city tour é um dos passeios básicos, porque não mostra a cidade, mas alguns sítios arqueológicos nos arredores da cidade e que eu achei muito difícil chegar de carro. Segunda a ‘regra’ turística de cusco a ordem dos passeios básicos que se deve fazer lá segue uma ordem de acordo com a beleza das paisagens: City Tour, Vale Sagrado e por fim Machu Picchu.

Comprei todos os passeios na agência do meu hostel e não esqueci de levar o boleto turístico, essencial para entrar nos sítios. O city tour pode ser feito na parte da manhã ou da tarde e dura cerca de 4 horas. Custou S. 25 por pessoa. Escolhemos fazer de tarde e, ainda bem, porque choveu a manhã toda e depois do almoço o céu abriu e o dia ficou ensolarado.

Cusco está situada a 3.400 metros acima do nível do mar (haja folhas de coca e soroche pills rs) e é cercada por montanhas e vales. Tem uma população de 300.000 habitantes, a maioria indígena.

Paredes de Cusco construídas pelos Incas

Como antiga capital do Império Inca é a cidade continuamente habitada mais antiga do continente e logo se nota o legado do Império: a maioria das ruas está alinhada com os muros de pedras construídos pelos Incas e os nomes da ruas são quase todos quéchua, idioma falado pelos descendentes dos Incas.

Ruas de Cusco

O guia nos direcionou então para a entrada da Catedral Colonial de Cusco que guarda mais de 400 pinturas da escola cusqueña.

Catedral de Cusco
Vista lateral da Catedral
Fachada Catedral

A construção da Catedral iniciou-seme 1560 e durou mais de 100 anos. Os espanhóis a levantaram sobre um castelo Inca com os blocos de pedra da fortaleza de Sacsayhaumán.

Altar Principal

A Catedral é enorme e conta com 11 altares ou capelas.

Nave Central da Catedral
Mais um altar

Como uma provocação, os indígenas usados como mão-de-obra deixaram suas marcas na construção. Na répresentação da íltima ceia, Judas Iscariotes aparece com o rosto do conquistador espanhol FRancisco Pizzaro, e o prato servido ao centro da mesa é o ‘cuy’ assado, espécie de porquinho-da-índia muito apreciado em Cusco na época dos Incas.

Santa Ceia de Marcos Zapata

No coro também podemos observar que os assentos trazem detalhes que remetem à Pachamama (mãe natureza). A obra é um dos maioresexemplos de arquitetura colonial da cidade e da chamada Escola Cusquenha de Pintura que mistura o barroco europeu e a arte andina.

Coro da Catedral

Em seguida visitamos o Templo do Sol, o principal centro religioso dos Incas, dedicado ao Sol.

Entrada do Templo do Sol
Qorikancha, nome quéchua para Templo do Sol

Qorikancha significa templo dourado, pois de acordo com seus estudiosos as paredes eram todas revestidas em ouro.

Fachada externa do templo
Templo do Sol - vista da Av. Sol

Esse templo foi construído pelo imperador Pachacuti e as paredes são feitas de pedras polidas e encaixadas perfeitamente. Foi destruído pelos conquistadores espanhóis que sobre ele construíram uma igreja. Contudo, o grande terremoto de 1950 destruiu a construção dos padres dominicanos e expôs o Templo do Sol que resisitiu firmemente ao terremoto graças às técnicas incas de construção.

Pedras encaixadas e formato antiterremoto das janelas
Porta antiterremoto inca
Patio interno do templo e os arcos da construção espanhola
Pinturas Espanholas no templo

Daí seguimos de ônibus para visitar as ruínas a cerca de 8km de cusco: Sacsayuamán, Q’enqo, Puka Pukara e Tambomachay.

City Tour Cusco

O primeiro lugara visitado é Sacsayhuamán (leia-se sexywoman rs) a 2 km de Cusco. Ao chegar avistamos uma construção inacreditável com pedras gigantes encaixadas umas sobre as outras. Por isso, por muito tempo acreditou-se que se tratava de uma fortaleza inca.

Sacsayhuamán

De acordo com as teorias atuais, Sacsayhuamán era um local sagrado dedicado ao culto do Deus-Sol e um centro astronômico onde estavam os maiores pensadores da época.

Cristo Branco
Encaixe perfeito das pedras
Sacsayhuamán

Mantendo a tradição, em todo solstício de verão é celebrado o Inty-Hayme, festa sagrada em homenagem ao Deus-Sol.

Inty Hayme

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s