Amsterdam · Europa · Holanda

Amsterdam: Dicas práticas de transporte e hospedagem

Amsterdam é conhecida como a Veneza do norte, mas tem ainda mais canais. Amsterdam – dam = dique / Amster – nome do rio, logo Amsterdam significa o dique do rio Amster. A cidade é cortada por dois principais rios Amstel e Schinkel na baía de IJ.

Uma dica que me ajudou muito na localização das ruas foi saber que “plein” é praça, “straat” é rua e “graat” é canal. Por saber alemão, consigo ler em neerlandês, que é muito parecido (tipo português e espanhol), mas acredito que essa dica possa ajudar de qualquer maneira. A maior parte da população é estrangeira e a cidade reúne mais de 149 diferentes nacionalidades. A língua oficial é o neerlandês, mas todos falam inglês fluentemente, entao é bem fácil pedir informaçoes por lá.

O início do  século XVII, foi  considerado o seu “Século de Ouro” e a cidade tornou-se em uma das mais ricas do mundo. Suas embarcações rumavam para várias partes do mundo em busca de mercadorias (Báltico, América do Norte, África, Indonésia, Brasil etc.) e essas viagens começaram a ser patrocinadas pela população local que fazia encomendas para esses navegadores.

Dessa forma foi criada a base de uma rede comercial mundial – a  Cia Neerlandesa das Índias Orientais e Ocidentais. Nessa época, Amsterdã era o principal porto comercial da Europa e  o centro financeiro mais importante do mundo. A Bolsa de Valores de Amsterdã  foi a primeira a funcionar diariamente.

Os ingleses, no entanto, copiaram a ideia e com a consequente perda de hegemonia ocorreu a Primeira Guerra Holandesa. Os ingleses venceram e em troca do monopólio do comércio, houve a troca de alguns territórios: a Inglaterra ficou com Nova York e a Holanda com Suriname. Várias similaridades podem ser notadas entre Amsterdam e Nova York (na época rebatizada de Nova Inglaterra) como as casas como escadinha na porta da frente, o Central Park e o Vondelpark e a bolsa de NY que foi resultado da influência holandesa.

Os ingleses passaram a menosprezar os holandeses e chamavam a todos de “Jan” (em português João, pronunciado [yan]) e assim, do apelido “Janke” (“Joãozinho”), e assim surgiu o termo em inglês Yankee, como no time New York Yankees.

– Como chegar

Letreiro na saída do aeroporto

Chegamos em Amsterdam de trem a partir de Paris na Estação Central. Para quem chega de avião o nome do aeroporto é Schiphol e há uma estação de trens ali dentro mesmo. Basta sair do desembarque e seguir até a área dos trens e comprar uma passagem (8 Euros) para Amsterdam Centraal, às vezes escrita como Amsterdam CS.

– Como se locomover

Na própria estação central há guichês de informações turísticas que fornecem mapas da cidade gratuitamente. Ao sair da estação você já verá o pontos dos trams (bonde elétrico) que são o principal meio de transporte da cidade – além das bicicletas.

O valor da passagem individual simples é 2,60 Euros e podem ser comprada dentro do próprio bonde com o motorista (trocam notas de até 20 Euros).

Nas máquinas amarelas dentro estação central, você compra por 2,40 e também pode comprar o passe de 24h por 7,50 Euros. Nós usamos o de 24h no último dia para conhecermos alguns pontos mais isolados e distantes uns dos outros.

Para usar o tram é muito fácil – basta olhar no mapa no ponto em que você está quais os trams disponíveis (representados por números) e seguir com os olhos seu trajeto e identificar o ponto final. Logo em frente à estação estão os trams 2 e 5. Mais para a esquerda há vários outros pontos e opções e uma central de informações turística.

A cidade é pequena e fácil de ser navegada a pé.

– Onde ficar

Amsterdam é uma cidade bem compacta então na minha opinião em qualquer “bairro” você estará bem localizado. Só não recomendo a região do aeroporto (Schiphol) e o Red Light District.

Nós ficamos em Oosterdock, a 10 minutos a pé da estação central em um hotel-barco e adoramos!!! As fotos mais lindas da viagem foram tiradas através da janela do barco. Nós escolhemos o Amicitia que reservei pelo Booking.com.

O custo benefício foi excelente, com vistas do pôr do sol no rio Amster e café da manhã incluído. Além de mapas e cupons de desconto disponíveis a vontade. Melhor escolha impossóvel!

Da segunda vez que fomos ficamos no Hotel Sphinx perto do Rijskmuseum. O hotel é bem localizado e perto de tudo além de ter café da manha incluído. Tem umas escadinnhas íngrimes e estreitas, para quem tem malao pode ser um sacrifício. É bem simples, mas serve para o propósito de dormir no centro de Amsterdam. É mais caro que o barco e nao tem seu charme… aí vai do gosto.

Fazendo festinha de aniversário no quarto do hotel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s